Superman: O Homem do Amanhã leva luz e cor ao universo animado DC

Primeiro longa da DC após o reboot desencadeado por Justice League Dark: Apokolips War, Superman: O Homem do Amanhã (Superman: Man of Tomorrow, EUA, 2020) representa o início de um novo dia para o Universo Animado DC – desenvolvido antes a partir de Liga da Justiça: Ponto de Ignição. Para tal reconstrução, foi escolhida uma história sobre as origens e motivações do Homem de Aço, inspirada na HQ Superman: Alienígena Americano.

Dirigido por Chris Palmer (Voltron: O Defensor Lendário), o filme apresenta o público a um mundo que ainda não está totalmente familiarizado com o Último Filho de Krypton – ou com a existência de qualquer forma de vida alienígena. É neste cenário que encontramos Clark Kent (Darren Criss, de Glee: Em Busca da Fama) como um estagiário aspirante a repórter do Planeta Diário e dando seus primeiros voos como super-herói em Metropolis.

Superman precisa assumir o posto de elo entre humanos e alienígenas. (Foto: DC)

O enredo, assinado por Tim Sheridan (Reino do Superman), reúne e amplia os acontecimentos do quadrinho lançado em 2015, colocando Superman diante das ameaças de Lobo (Ryan Hurst, de The Walking Dead) e Parasita (Brett Dalton, de Marvel’s Agents of S.H.I.E.L.D.). Como novidade em relação a aventura impressa, a animação recruta outro personagem do panteão de heróis da casa: o Caçador de Marte (Ike Amadi, de Caçadores de Trolls: Contos de Arcadia).

Como no gibi, a narrativa a chegada do caçador de recompensas Lobo na Terra e o surgimento do Parasita fazem com que Super-Homem precise se revelar como extraterrestre, assim como se posicionar em defesa da paz entre os povos, independente das diferenças. A bondade embutida no coração de Clark pelos pais adotivos, Martha (Bellamy Young, de Scrubs) e Jonathan Kent (Neil Flynn, de The Middle), permite que ele veja o melhor nas pessoas, inclusive nos vilões.

Violento e boca suja, Lobo rouba a cena no filme do Superman. (Foto: DC)

Seguindo o exemplo da série em live-action Supergirl, o título levanta a bandeira da igualdade, diversidade e aceitação, usando a figura do Parasita para provar que até indivíduos da mesma raça/espécie/etnia podem ser diferentes. Além disso, a obra serve para os fãs se enturmarem com as novas versões de Lex Luthor (Zachary Quinto, de NOS4A2), ainda mais frio e calculista, e Lois Lane (Alexandra Daddario, de True Detective), uma jovem jornalista investigativa.

De atmosfera leve e visual muito colorido, Superman: O Homem do Amanhã chega como um sopro de luz e esperança ao novo universo de animações da DC.

Comentários
Henrique Almeida

Henrique Almeida

Jornalista formado pela FIAM e fundador do Boletim Nerd. Foi colaborador da Coluna Mundo Geek, da GloboNews, e foi palestrante na Campus Party Brasil. Realizou a cobertura da Comic Con Experience, Brasil Game Show e Bienal Internacional do Livro de São Paulo.

Comentários estão fechados.