Liga da Justiça mita no melhor ano da DC Comics

Reunião dos maiores super-heróis da Casa das Lendas, o aguardadíssimo blockbuster Liga da Justiça (Justice League, EUA, 2017) é quarto título do Universo Estendido DC e a prova de fogo para as ambições da DC Comics nas telonas. Dirigido por Zack Snyder (Watchmen: O Filme), o filme, de 2h01, traz Batman (Ben Affleck, de Garota Exemplar) e Mulher-Maravilha (Gal Gadot, de Velozes e Furiosos 4) tendo que alistar uma equipe para encarar um adversário anunciado ainda em Batman vs Superman: A Origem da Justiça, que pretende fazer da Terra um inferno.

Liga da Justiça registra a atuação mais convincente de Ben Affleck como Batman. (Foto: Warner/DC Comics)

No roteiro assinado pelo trio Chris Terrio (Argo), Joss Whedon (The Avengers: Os Vingadores) e Snyder, a morte de Superman (Henry Cavill, de Fuga Implacável) fez com que o mundo perdesse a esperança, causando uma enorme onda de medo. E este fenômeno desperta a ira dos Parademônios (criaturas “insectoides” que andam em enxames) e seu líder, Lobo da Estepe (Ciarán Hinds, de Game of Thrones), um antigo ser que almeja juntar os 3 itens de poder conhecidos como Caixas Maternas – espalhados pelo globo – para destruir o planeta como o conhecemos.

Sem Superman, cabe a Mulher-Maravilha ser o farol de esperança para a humanidade. (Foto: Clay Enos/DC Comics)

Uma ameaça grande demais, a presença de “Steppenwolf” exige que Batman/Bruce Wayne e Mulher-Maravilha/Diana Prince convoquem novos aliados para a batalha pela Terra, busca que os leva a Aquaman/Arthur Curry (Jason Momoa, de Conan, o Bárbaro), Flash/Barry Allen (Ezra Miller, de Animais Fantásticos e Onde Habitam) e Ciborgue/Victor Stone (Ray Fisher, de The Astronaut Wives Club). Entretanto, será que esse grupo de pessoas superdotadas irá mesmo funcionar como um time de verdade sem a liderança exercida pelo Super-Homem/Clark Kent?

Com muita personalidade e senso de humor, Ezra Miller supera o fantasma do The Flash da TV. (Foto: Warner)

Capítulo à parte no enredo, o retorno do Superman promove os momentos mais emotivos da superprodução, uma vez que sua noiva, a repórter investigativa do Planeta Diário Lois Lane (Amy Adams, de O Homem de Aço), e sua mãe, Martha Kent (Diane Lane, de Infidelidade), que tiveram as vidas despedaçadas desde a queda do kryptoniano há 1 ano. Do pessimismo extremo, o filme ganha ânimo quando Super-Homem volta e um clima mais positivo é adotado, especialmente nos encontros entre The Flash e Ciborgue e Batman e a versão badass de Aquaman de Jason Momoa.

O Aquaman versão bad boy de Jason Momoa sofre para se encaixar entre os atlantes e o povo que vive na superfície. (Foto: Warner/DC Comics)

Apostando numa trama simples e envolvente, Liga da Justiça consegue amarrar os núcleos já apresentados do universo cinematográfico DC Comics, de forma que é possível conhecer o povo da Atlântida e os corredores da STAR Labs em Central City e diversos personagens ligados aos protagonistas interagindo ao longo da história – como as amazonas de Themyscira e os moradores de Metropolis. Com fotografia sofisticada, a obra narra uma aventura super heroica de proporções gigantescas, com figuras cativantes e a promessa de que vem muito mais por aí.

Numa aventura épica, a Liga da Justiça precisa salvar o mundo do apocalipse. (Foto: Warner/DC Comics)

Com a Mulher-Maravilha personificada novamente com maestria por Gal Gadot, o longa-metragem oferece uma overdose de mitologia DC quando constrói o background de cada herói, adicionando o Comissário do Departamento de Polícia de Gotham City Jim Gordon (J.K. Simmons, de Homem-Aranha), Henry Allen (Billy Crudup, de Quase Famosos) – o pai de Flash –, Mera (Amber Heard, de Quebrando Regras) – esposa de Aquaman – e o Dr. Silas Stone (Joe Morton, de O Exterminador do Futuro 2: O Julgamento Final) – pai de Ciborgue.

Jim Gordon estreia no Universo Estendido DC. (Foto: Clay Enos/DC Comics)

Atenção para as 2 cenas pós-créditos, referências a Darkeseid (Lobo da Estepe é um seu arauto), Força de Aceleração, Sala da Justiça, Pinguim e à futura saga de quadrinhos Doomsday Clock, trilhas dos clássicos Superman: O Filme (1978) e Batman (1989) e easter eggs de um dos Lanternas Verdes e dos deuses gregos Zeus e Ártemis.

Liga da Justiça estreia nos cinemas nesta quarta-feira (15/11).

Comentários
Henrique Almeida

Henrique Almeida

Jornalista formado pela FIAM e fundador do Boletim Nerd. Foi colaborador da Coluna Mundo Geek, da GloboNews, e foi palestrante na Campus Party Brasil. Realizou a cobertura da Comic Con Experience, Brasil Game Show e Bienal Internacional do Livro de São Paulo.

Comentários estão fechados.