Volte Para Mim é aventura de ficção científica com a Mulher-Maravilha

Carlos Bazela

Em Mulher-Maravilha – Volte Para Mim, história completa publicada em volume único aqui no Brasil pela Panini, a amazona parte ao lado de Etta Candy para procurar Steve Trevor. O piloto se perdera em uma tempestade, enquanto testava um novo protótipo de avião de combate ao lado de dois colegas da Força Aérea.

Tragadas pelo mesmo fenômeno estranho que levou os pilotos e destroçou o jato invisível, as duas caem em uma ilha misteriosa, com direito a dinossauros, insetos gigantes e outros habitantes estranhos. Espera! Acidente aéreo, ilha esquisita, mistérios…. sim, você já viu isso antes. Ou, pelo menos acha que viu. Afinal, no roteiro de Amanda Conner e Jimmy Palmiotti, tudo pode acontecer.

Mas calma, no local, a princesa de Themiscyra ainda encontra uma princesa alienígena, sua principal antagonista, a Mulher-Leopardo e Jonah Hex, o caçador de recompensas mais eficaz do velho-oeste. E para completar, os poderes de Diana estão falhando e ela pode contar apenas com seu treinamento de combate e a sua força de vontade invencível.

Mistura bizarra que dá certo

Por mais estranho que pareça, Volte Para Mim é uma história que funciona bem. A pegada de sobrevivência dos primeiros capítulos entretém o leitor e, antes que canse, vai dando lugar para outras linhas narrativas. Sempre aproveitando a capacidade da ilha de fornecer situações bizarras.

Então, enquanto você se pergunta sobre o paradeiro dos soldados, começa a tentar entender o que neandertais fazem com armas modernas e o porquê de Jonah Hex estar no meio deles. O clima de “Lost” ganha ainda mais força ao encontrarem os destroços de um avião futurista. E muda totalmente, ao acharem uma princesa alien e seu exército de guardiões robôs, virando outra coisa quando a Mulher-Leopardo dá as caras.

Contudo, todo esse caos tem explicação e os motivos começam a vir à tona a medida que avançamos na história. Isso traz reviravoltas inesperadas e faz de Volte Para Mim não só um ótimo quadrinho, como uma homenagem a diferentes gêneros da ficção científica.

Esquenta para o filme, espelho da animação

Enquanto o texto de Conner e Palmiotti cria diálogos condizentes com a personagem, com tiradas inteligentes de humor seco, as ilustrações de Chad Hardin e Tom Derenick, com as cores de Alex Sinclair e Jeremiah Skipper, além da arte final de Trevor Scott, contribuem para um visual semelhante ao de Mulher-Maravilha: Linhagem de Sangue (veja nossa crítica)

Aliás, a presença de uma Etta Candy atualizada e da Mulher-Leopardo, sem dizer o figurino da Mulher-Maravilha, deixam a HQ bem próxima da animação e também aos filmes estrelados por Gal Gadot. O mesmo vale para o relacionamento dela com o piloto Steve Trevor.

Assim, além de uma ótima história de roteiro inusitado para a princesa amazona, Volte Para Mim funciona para colocar o hype em dia para sua nova produção. Mulher-Maravilha 1984, que, após novo adiamento, está prevista para estrear apenas em 24 de dezembro nos cinemas brasileiros.

Comentários
Next Post

O Regresso de Jaspion é homenagem para cultura tokusatsu no Brasil

Depois de anunciado e adiado brevemente pela Editora JBC, o mangá O Regresso de Jaspion está finalmente disponível. Totalmente feita no Brasil pelo selo Henshin, a obra tem roteiro de Fábio Yabu, ilustrações de Michel Borges, arte-final de Douglas Souza e atualiza o campeão intergaláctico para os dias de hoje, […]