Pequenos Grandes Heróis empodera novas gerações

Estabelecido no mesmo universo de As Aventuras de Sharkboy e Lavagirl em 3-D, o filme Pequenos Grandes Heróis chega ao catálogo da Netflix nesta sexta-feira (25/12) como presente de Natal aos públicos mais jovens e aos mais adultos. A produção original, além da nostálgica atmosfera tridimensional, mostra a transição entre gerações de defensores, oferece uma trama de aventura e ficção científica, que também conta com um elenco de peso.

Dirigido e roteirizado por Robert Rodriguez, que comandou o longa de 2005, tem a pequena Missy (YaYa Gosselin, de FBI: Os Mais Procurados), no centro da ação. Filha de Marcos Moreno (Pedro Pascal, de The Mandalorian), o líder dos Heroicos, grupo de benfeitores, a garota precisa assumir o posto de seu pai quando a Terra é invadida por uma frota de espaçonaves alienígenas. O que pode não ser nada fácil, já que ela não herdou qualquer superpoder.

A missão da protagonista é reunir outros filhos dos super-heróis para salvar o dia, o planeta e resgatar seus respectivos pais, que foram aprisionados pelos extraterrestres.

Nova geração no comando

Para contrapor a iniciativa das crianças, surge a diretora dos Heroicos, chamada Senhora Granada (Priyanka Chopra, de Quantico). Superprotetora, Granada tenta evitar que os meninos tentem confrontar os inimigos, mesmo sabendo que eles são a única força capaz de tomar as rédeas da situação. Mas, até quando todo esse protecionismo pode ser justificado? Afinal, a renovação é uma das regras que desde sempre imperam a existência no mundo.

Mesmo assim, cabe a Missy reunir Guppy (Vivien Lyra Blair, de Bird Box), Espaguete (Lyon Daniels, de Patriota), Piloto (Andy Walken, de The Kids Are Alright), Ojo (Hala Finley, de O Chefe da Casa), Carta Surpresa (Nathan Blair, de Legião), Mil Faces (Andrew Diaz, de The Kids Are Alright), Voltar (Isaiah Russell-Bailey, de Reunião de Família), Avançar (Akira Akbar, de Capitã Marvel), A Capella (Lotus Blossom, de Undone) e Câmera Lenta (Dylan Henry Lau, de Here and Now) sob sua liderança como a última esperança da Terra.

Herdeira dos poderes de Sharkboy e Lavagirl, Guppy rouba a cena! (Foto: Netflix)

Aliás, aqui vale o destaque para Guppy, a filha de Sharkboy (Jeffrey J. Dashnaw, de Sin City: A Cidade do Pecado) e Lavagirl (Taylor Dooley, a intérprete original da heroína).

Foco nas reviravoltas

Para quem achou que Pascal, Chopra e Boyd Holbrook (Sombra Lunar) teriam mais destaque, a narrativa pouco exige dos veteranos do elenco em termos de atuação, dando a eles tempo reduzido em cena. Dessa forma, a produção concentra suas atenções no desenvolvimento dos pequenos heróis, cujos intérpretes, mesmo sem muita experiência, dão conta do recado.

Além disso, um dos trunfos do título é seu enredo repleto de reviravoltas, que sempre pegam o público de surpresa, divertindo e envolvendo o espectador seja ele criança ou adulto.

Atrativo para todas as idades, Pequenos Grandes Heróis não se limita a ser uma sequência de Sharkboy e Lavagirl, uma vez que oferece um universo de supers amplo, cheio de colorido e com potencial para ser estendido em uma nova franquia.

Comentários
Next Post

Homem de Ferro 2020 é fábula cyberpunk do Vingador Dourado

O ano de 2020 passou longe de qualquer previsão mais absurda no quesito estranheza. E, nos quadrinhos, a coisa não foi muito diferente. Principalmente no arco Homem de Ferro 2020, publicado aqui pela Panini na forma de uma minissérie em três edições, cuja primeira edição acaba de sair. Na história […]