Castlevania: 2ª temporada expande universo da saga com guerra

Baseada da clássica franquia de jogos da Konami, a série animada Castlevania teve sua segunda temporada lançada em 2018 pela Netflix, mantendo o tom adulto e repleto violento apresentado na primeira temporada. Porém, desta vez, a série animada não só assusta, como investe na construção de um universo mais complexo, que introduz o Conselho de Guerra de Drácula (Graham McTavish, de Preacher) e mostra a origem de seu exército de monstros.

Agora com oito episódios (o dobro do ano anterior), a atração original segue sob o comando do roteirista Warren Ellis (conhecido pelos quadrinhos de Hellblazer) e começa sua história no ano de 1975, dando sequência à jornada de Trevor Belmont (Richard Armitage, de O Hobbit), Sypha Belnades (Alejandra Reynoso, de O Clube das Winx) e Alucard (James Callis, de Battlestar Galactica), que viajam tentando descobrir como impedir o massacre feito pelo vampiro.

Trevor leva Sypha e Alucard ao covil dos Belmont para descobrir como matar Drácula.

O vilão, Vlad Drácula Tepes, por sua vez, tenta alinhar seus principais aliados na guerra travada contra os humanos. É aí que entram em cena Carmilla (Jaime Murray, de Gotham) e Godbrand (Peter Stormare, de Deuses Americanos), dois dos generais das tropas de Drácula que divergem entre si, assim como vão revelando suas próprias agendas ao longo da história. Manipuladora, Carmilla é quem mais se destaca e assume importância na temporada.

Monstros à parte, a maior (e talvez mais importante) novidade aqui é a introdução da dupla Hector (Theo James, de Divergente) e Isaac (Adetokumboh M’Cormack, de Diamante de Sangue), conselheiros humanos de Drácula. Apesar de quase rivais, os dois trabalham como mestres da Forja Demoníaca – habilidade com a qual pessoas mortas são revividas e transformadas em criaturas das trevas. Hector e Isaac têm opiniões distintas sobre o ataque à humanidade.

Ardilosa, Carmilla convence Hector a levar a batalha a uma armadilha em Braila. (Foto: Netflix)

De narrativa tão sinistra quanto envolvente, a segunda temporada aproveita o repertório dos games de Castlevania. Além de Hector e Isaac, vindos de Castlevania: Curse of Darkness, vemos Carmilla, de Castlevania II: Simon’s Quest, e os demônios Slogra e Gaibon, diretamente de Super Castlevania IV e Castlevania: Symphony of the Night. Protagonista de Castlevania: Lament of Innocence, o caçador de vampiros Leon Belmont é mencionado.

Ambiciosa, a nova remessa de capítulos de Castlevania é recheada de reviravoltas e se faz competente na ampliação de seus horizontes com a adição de personagens profundos, repletos de dramas, anseios e questionamentos, o que torna a narrativa mais densa, cativante e original.

Comentários
Henrique Almeida

Henrique Almeida

Jornalista formado pela FIAM e fundador do Boletim Nerd. Foi colaborador da Coluna Mundo Geek, da GloboNews, e foi palestrante na Campus Party Brasil. Realizou a cobertura da Comic Con Experience, Brasil Game Show e Bienal Internacional do Livro de São Paulo.

Comentários estão fechados.