3ª temporada: Fear the Walking Dead esboça análise sociopolítica dos EUA

Spin-off de The Walking Dead, a série Fear the Walking Dead teve sua 3ª temporada concluída neste ano, com uma jornada recheada de terror e coroada por um enredo cheio de críticas ao cenário social, político e histórico dos EUA. Atração original do canal AMC, o programa criado por Robert Kirkman e Dave Erickson cruza a fronteira do México para mostrar a protagonista Madison Clark (Kim Dickens, de Garota Exemplar) em busca de um abrigo para seus filhos, Nick (Frank Dillane, de No Coração do Mar) e Alicia (Alycia Debnam-Carey, de The 100).

A 3ª temporada de Fear the Walking Dead marca transformações em Madison, Nick e Alicia. (Foto: Richard Foreman, Jr/AMC)

Despedaçado no final da 2ª temporada (saiba mais) e sem contar com Travis Manawa (Cliff Curtis, de Gang Related) – perdido logo na macabra season première –, o grupo de sobreviventes procura asilo no Broke Jaw Ranch, comunidade estabelecida ao sul da Califórnia, no Estados Unidos, com Madison, Nick e Alicia. Porém, no rancho, eles precisam lidar com Jeremiah Otto (Dayton Callie, de Sons of Anarchy), o líder racista, e seus filhos, o psicopata Troy (Daniel Sharman, de Teen Wolf) e o diplomata Jake (Sam Underwood, de The Following).

Como Troy Otto, o ator Daniel Sharman ganha os holofotes personificando o mal. (Foto: Richard Foreman, Jr/AMC)

Inicialmente, o enredo se desenvolve em cima do preconceito de Jeremiah sobre Luciana Galvez (Danay Garcia, de Prison Break) – a namorada de Nick. Deste modo, embora esteja preparada para o apocalipse zumbi, a comunidade se prova incapaz de dividir seus bens com qualquer indivíduo de etnia diferente. O embate racial fica evidente quando Qaletqa Walker (Michael Greyeyes, de O Novo Mundo), general do povo indígena, surge empreendendo ataques para reconquistar as terras do Broke Jaw Ranch, que pertenceram aos seus antepassados.

Qaletqa Walker passa de vilão a um dos personagens mais queridos do seriado. (Foto: AMC)

Já na metade final da terceira temporada, Fear the Walking Dead apresenta as duas facções rivais precisando dividir o mesmo espaço para sobreviver, em um exercício desafiador de civilidade, solidariedade e superação de rixas antigas. Filha perdida de Daniel Salazar (Rubén Blades, de Predador 2 – A Caçada Continua), Ofelia (Mercedes Mason, de NCIS: Los Angeles) retorna exercendo papel de agente dupla, o que torna a situação mais conflituosa e faz pender a balança de poder entre os grupos de Broke Jaw Ranch e Black Hat Reservation (os índios).

Apostando na diversidade e solução de conflitos raciais, FTWD traz personagens de etnias variadas. (Foto: AMC)

Encurralados diante da disputa racial, Madison, Nick e Alicia assumem funções bastante distantes em sua nova “casa”, o que termina abalando os laços da família – uma vez que Madison ascende como liderança no lugar do patriarca Otto, Alicia inicia romance com Jake e Nick tenta encontrar seu lugar neste novo ambiente. Sendo assim, Madison acaba percebendo que seus filhos não precisam tanto da mãe quanto a recém-criada sociedade necessita dela para resistir a falta de recursos e aos mortos-vivos, algo que a leva difíceis decisões.

Em crescimento, a personagem Alicia assume seus riscos e segue em jornada solo. (Foto: Richard Foreman, Jr/AMC)

Tudo isso conduz a saga até a Barragem Gonzalez, em Tijuana (México), uma que a paz entre Madison e Qaletqa depende de distribuição de água para todos. Lá, Daniel reside após uma odisseia quase sobrenatural atrás de sua filha, servindo como guarda de Lola Guerrero (Lisandra Tena, de Chicago P.D. Distrito 21) – bondosa administradora do local. Contudo, além de ser o destino dos moradores do rancho, a represa é alvo de cobiça de “lobos” como Victor Strand (Colman Domingo, de Lincoln) e Proctor John (Ray McKinnon, de Amor Bandido), chefe de uma gangue de motoqueiros. E aí mundos colidem…

A exemplo de Negan, John comanda uma gangue de motociclistas, estradas e o mercado de trocas chamado El Bazar. (Foto: Richard Foreman, Jr/AMC)

Arrojada ao estrear e finalizar com capítulos duplos, a série Fear the Walking Dead narra uma história bem amarrada e compatível com o universo do autor Robert Kirkman, com personagens multidimensionais (às vezes você os ama, em outras os odeia) – com destaque para o atormentado Troy – e momentos de terror, como numa cena perturbadora no episódio Burning in Water, Drowning in Flame e uma experiência claustrofóbica em This Land Is Your Land.

Para o futuro, está confirmado que haverá um crossover entre Fear the Walking Dead e The Walking Dead.

Comentários
Henrique Almeida

Henrique Almeida

Jornalista formado pela FIAM e fundador do Boletim Nerd. Foi colaborador da Coluna Mundo Geek, da GloboNews, e foi palestrante na Campus Party Brasil. Realizou a cobertura da Comic Con Experience, Brasil Game Show e Bienal Internacional do Livro de São Paulo.

Comentários estão fechados.