Sintonia: quebrada ganha voz e ritmo na Netflix

Produzida pela Netflix em parceria com o Kondzilla – o maior canal de YouTube do Brasil –, a série original Sintonia teve sua primeira temporada lançada em agosto deste ano, mostrando a realidade dos jovens que vivem na periferia – na zona sul de São Paulo, mais especificamente. Com apenas 6 episódios de 40 minutos de duração, o programa criado por Guilherme Moraes Quintella (Pagliacci), Felipe Braga (Legalize Já: Amizade Nunca Morre) e Kondzilla busca explorar os caminhos da música, religião e do crime numa perspectiva romantizada, mas ainda assim verdadeira.

Na quebrada, conhecemos Doni (Jottapê Carvalho, de O Menino da Porteira), Nando (Christian Malheiros, de Sócrates) e Rita (a estreante Bruna Mascarenhas), que tentam se destacar de alguma forma e construir seu futuro, de acordo com as principais opções oferecidas pela comunidade. Enquanto Doni persegue o sonho de se tornar um famoso MC, Nando se vê cada vez mais envolvido com o mundo do crime e Rita procura redenção ao frequentar a igreja evangélica. Apesar de distintas, as jornadas do trio acabam se sempre cruzando.

Amigos de infância, Rita, Doni e Nando seguem caminhos distintos em busca dos sonhos. (Foto: Christian Gaul/Netflix)

Ao som de Te Amo Sem Compromisso e Não Vai Ser Fácil – canções do MC Doni –, Sintonia mostra o preconceito com que o funk é tratado por pessoas de gerações mais antigas ou alheias ao ambiente da favela, assim como se aprofunda na história por trás dos artistas que desenvolvem um dos principais gêneros musicais do Brasil na atualidade. E isso é abordado a partir do dom de Doni para cantar e sua ambição de se tornar um músico de sucesso, à medida que trabalha no mercadinho dos seus pais e tenta conciliar a carreira com os estudos.

O cenário elaborado para o personagem de Nando é um pouco mais delicado. Casado e pai de uma pequena menina, o rapaz começa a crescer entre a organização criminosa que comanda sua comunidade, mas isso exige muita dedicação e sacrifícios. A participação do protagonista em atividades de tráfico e violência é consideravelmente suavizada, porém, é impactante o bastante para fazer refletir sobre as consequências deste caminho comum a tantos jovens. Já Rita sofre como vendedora ambulante e pela posse de drogas, enxergando a religião como porto seguro.

Por trazer personagens muito atuais e representativos, Sintonia encanta com diálogos repletos de gírias todas próprias e trilha sonora original – já disponível no Spotify –, cumprindo sua missão de alçar a cultura popular das periferias para o público massivo do serviço de streaming.

Comentários
Henrique Almeida

Henrique Almeida

Jornalista formado pela FIAM e fundador do Boletim Nerd. Foi colaborador da Coluna Mundo Geek, da GloboNews, e foi palestrante na Campus Party Brasil. Realizou a cobertura da Comic Con Experience, Brasil Game Show e Bienal Internacional do Livro de São Paulo.

Comentários estão fechados.