Doutor Sono: sequência de O Iluminado enche os olhos até de Stephen King

Continuação do inesquecível clássico O Iluminado – baseado na obra de Stephen King , Doutor Sono chega aos cinemas trazendo o suspense que já foi construído no primeiro filme, atuações excelentes e uma trilha sonora incrível.

Com direção de Mike Flanagan (A Maldição da Residência Hill), o título traz a história de Dan Torrence (Ewan McGregor, de Christopher Robin: Um Reencontro Inesquecível) que cresceu com o trauma dos acontecimentos do Hotel Overlook e se tornou um alcoólatra. Querendo mudar de vida e recomeçar deixando o passado para trás, Dan se muda para uma cidade pequena, consegue um emprego, participa de um centro de apoio e segue uma vida tranquila até conhecer Abra (Kyliegh Curran, de I Can I Will I Did), uma garotinha que tem o dom da iluminação, que se mete em um grande perigo depois de ver algo que não devia. Com Abra ameaçada, Dan precisa ajudar a menina, em um suspense que te prende do início ao fim.

Stephen King já declarou que aprova a sequência de O Iluminado. (Foto: Warner Bros. Pictures)

Flanagan aqui prova mais uma vez seu talento na direção do gênero terror, conseguindo adaptar de uma forma incrível a obra do mestre do horror, muito conhecido por escrever narrativas bastante complexas. Além disso, de uma maneira bem construída, o roteiro “corrige” certas coisas que foram esquecida no longa de Stanley Kubick.

A grande surpresa é a extremamente talentosa Kyliegh Curran, que faz sua estreia de fato na indústria cinematográfica, em uma performance admirável. Sério, guarde esse nome, ela ainda vai brilhar muito em Hollywood! Também vemos outra vez o brilho de Jacob Tremblay (Extraordinário), que se torna marcante mesmo com poucos minutos em tela. Sem dúvida, a dupla apresenta as melhores atuações da produção.

Produção investe em um visual sombrio e misterioso. (Foto: Warner Bros. Pictures)

Outro destaque é Rebecca Ferguson (Missão: Impossível – Efeito Fallout), que vive a antagonista “Rose the Hat”, que é uma personagem enigmática, cheia de camadas e bem interpretada. Sem o equilíbrio que Ferguson dá à personagem, o filme com certeza não teria sido tão bom.

O longa oferece um grande fan service aos amantes dos livros e da adaptação de 1980, com easter eggs, referências e aparições que vão surpreender e agradar a todos. Aliás, Doutor Sono tem como trunfo a capacidade de se manter fiel à obra original e ainda demonstrar própria personalidade, conduzida competentemente. Nem Stephen King reclamaria.

Doutor Sono estreia em 7 de novembro nos cinemas brasileiros.

Comentários

Comentários estão fechados.