Sessão Retrô: Wolverine: Imortal (2013)

Segunda aventura solo do Wolverine, o filme Wolverine: Imortal (The Wolverine, EUA, 2013) se aprofunda na mitologia do mutante conhecido como James Howlett em terras nipônicas (algo que até então não havia acontecido nas telonas), assim como ocorre nos quadrinhos. Com uma leve inspiração na saga clássica Eu, Wolverine, a produção é dirigida por James Mangold (cineasta responsável por Logan) e aumenta o nível da franquia ao abordar os conflitos do mais casca grossa dos X-Men em relação a vida, a morte e ao que fazer com seus poderes.

Com Hugh Jackman novamente no papel de Wolverine, o longa mostra a regressão de Logan após os eventos de X-Men: O Confronto Final, uma vez que o velho mutuna passou a viver de forma reclusa sem saber aceitar a morte de Jean Grey (Famke Janssen, de Hemlock Grove). Entretanto, tudo muda quando Wolverine é encontrado por Yukio (Rila Fukushima, a Katana, de Arrow) – uma mutante com dons premonitórios –, trazendo-lhe o convite de um amigo da época da Segunda Guerra Mundial, que deseja ver Logan em seus momentos finais no Japão.

Neste filme, Wolverine mostra que não é o seu fator de cura que o faz imortal, mas sim o seu espírito. (Foto: Fox)

Neste filme, Wolverine mostra que não é o seu fator de cura que o faz imortal, mas sim o seu espírito. (Foto: Fox)

Ao chegar do outro lado do mundo, Wolverine começa a suspeitar que algo está errado na família Yashida e que sua presença ali não se deve a uma mera despedida do anciãoIchirō (Hal Yamanouchi, de Street Fighter: Punho Assassino), que está sempre acompanhado da misteriosa Víbora (Svetlana Khodchenkova, de Pânico no Metrô). Enquanto isso, Mariko (Tao Okamoto, de Hannibal), neta e herdeira da fortuna e empresa de Yashida, é ameaçada por um complô envolvendo seu pai, Shingen (Hiroyuki Sanada, de Helix), e o noivo, Noburo (Brian Tee, de Mortal Kombat).

Numa significativa evolução em relação a X-Men Origens: Wolverine, Wolverine: Imortal não só percorre áreas inexploradas como também leva a antiga Arma X a situações extremas, fazendo Wolverine confrontar a sua própria mortalidade (pois seu fator de cura foi impedido de funcionar). Desta forma, como um herói muito mais vulnerável (Wolverine não é a fera imparável de outrora), o Carcaju precisa provar o seu valor num duelo contra a Yakuza e o vilão Samurai de Prata, para salvar Mariko e reafirmar-se como um verdadeiro ronin (isto é, um samurai sem mestre).

Sem poderes e contra um vilão coberto pelo metal mais forte do mundo, Wolverine usa a espada samurai Danzan. (Foto: Fox)

Sem poderes e contra um vilão coberto pelo metal mais forte do mundo, Wolverine usa a espada samurai Danzan. (Foto: Fox)

Um prelúdio para Logan, Wolverine: Imortal adota um tom mais brutal, independente e trabalha a identidade de seu protagonista de maneira mais elaborada.

Comentários
Henrique Almeida

Henrique Almeida

Jornalista formado pela FIAM e fundador do Boletim Nerd. Foi colaborador da Coluna Mundo Geek, da GloboNews, e foi palestrante na Campus Party Brasil. Realizou a cobertura da Comic Con Experience, Brasil Game Show e Bienal Internacional do Livro de São Paulo.

Comentários estão fechados.