O Bom Gigante Amigo conquista pela fofura de seus protagonistas

Baseada no livro de Roald Dahl, a aventura O Bom Gigante Amigo (The BFG, Reino Unido/EUA/Canadá, 2016) é a grande atração dos estúdios Walt Disney para o final das férias escolares, estreando nesta quinta-feira (28/07) nos cinemas. Dirigida por Steven Spielberg (E.T. – O Extraterrestre e O Parque dos Dinossauros), a fantástica produção conta a história de Sofia (Ruby Barnhill, de 4 O’Clock Club), garotinha que desenvolve uma bela amizade improvável com o carismático BGA (Mark Rylance, de Ponte dos Espiões) e descobre os perigos da Terra dos Gigantes.

Com 1h57 de duração, o filme traz todo o clima de um conto de fadas, investindo inicialmente no suspense para apresentar a rotina da pequena Sofia no orfanato até o seu primeiro encontro com o Bom Gigante Amigo, e causa fascínio ao explorar a desconhecida Terra dos Gigantes. Deste modo, não é difícil relacionar O Bom Gigante Amigo com a A Fantástica Fábrica de Chocolate, James e o Pêssego Gigante e Matilda – todos publicados pelo galês Roald Dahl – e, em alguns aspectos, também se assemelha ao clássico E.T. – O Extraterrestre.

In Disney's fantasy-adventure THE BFG, directed by Steven Spielberg and based on Roald Dahl's beloved classic, a precocious 10-year old named Sophie (Ruby Barnhill) befriends the BFG (Oscar (TM) winner Mark Rylance), a Big Friendly Giant from Giant Country.

Expressiva e articulada, a atriz Ruby Barnhill surpreende em sua atuação como Sofia. (Foto: Disney)

Na história, a esperta Sofia, aos seus 10 anos, é a “ovelha negra” de um lar para crianças pais, sem amigos e excluída de todo o resto – além de sofrer de insônia. Em uma de suas solitárias noites em claro, a menina testemunha as atividades de um imenso indivíduo pela cidade e é levada pela figura misteriosa, vendo-se em um local onde tudo parece ameaçador. Lá, Sofia percebe que as aparências enganam, uma vez que, apesar de sua estatura incomum, seu captor se mostra ingênuo e inofensivo.

Entretanto, diferente do BGA, seus nove irmãos não são nada bonzinhos e proíbem qualquer amizade com os humanos, pois, eles preferem os nanicos exclusivamente como comida. Vítima frequente de FazMaldade (Jemaine Clement, de MIB³: Homens de Preto 3), BocaBrava (Bill Hader, de Superbad: É Hoje) e os outros, o Bom Gigante Amigo se encontra encurralado quando sua nova amiga é ameaçada e, ao lado dela, procura forças para enfrentar os malvados. Assim, tem início uma jornada de autoafirmação, coragem e, claro, amizade.

THE BFG

O BGA tem 7,5 metros, mas seus irmãos são pelo menos duas maiores e mais assustadores. (Foto: Disney)

Um “filme família”, O Bom Gigante Amigo aposta em efeitos visuais de altíssima qualidade (isso não é um trocadilho!), mas o que realmente rouba cena da produção é a combinação dos protagonistas: uma menina precoce e inteligente e um grandalhão cativante e ababalhado, com cara de vovô. Além disso, no roteiro com adaptação de Melissa Mathison (E.T. – O Extraterrestre), destaque para a riqueza de vocabulário do longa – fiel ao livro original –, que apresenta palavras como “humanomens”, “chuchubobrinha” e “frosbulhante”.

Inocente, comovente e nostálgico, O Bom Gigante Amigo mostra que uma boa amizade é o melhor sonho para os corações solitários.

O Bom Gigante Amigo estreia nesta quinta-feira (28/07) nos cinemas.

Comentários
Henrique Almeida

Henrique Almeida

Jornalista formado pela FIAM e fundador do Boletim Nerd. Foi colaborador da Coluna Mundo Geek, da GloboNews, e foi palestrante na Campus Party Brasil. Realizou a cobertura da Comic Con Experience, Brasil Game Show e Bienal Internacional do Livro de São Paulo.

Comentários estão fechados.