Maduro e emocional, Toy Story 4 fala sobre busca de novos significados

A terceira aventura dos brinquedos mais queridos da Disney-Pixar deixou uma ferida aberta nos corações de muitos fãs. Com o intuito de oferecer uma conclusão ao público, Toy Story 4 estreia nos cinemas brasileiros nesta quinta-feira (20/06), apresentando uma história em clima de despedida e a certeza de muitas emoções. Dirigida por Josh Cooley (do curta O Primeiro Encontro da Riley), a animação coloca Woody, Buzz Lightyear e companhia diante de Bonnie, uma nova criança, que dá aos bonecos caminhos e significados inteiramente diferentes.

No roteiro da dupla Andrew Stanton (Procurando Nemo) e Stephany Folsom (Star Wars: Resistance), o filme tem Woody sendo deixado pela garotinha que o herdou de Andy (agora na faculdade), porém, o xerife decide ajudá-la na adaptação ao jardim de infância. Mas, quando Bonnie perde seu novo brinquedo favorito, o Garfinho, Woody parte em jornada solo para encontrá-lo, pensando em sua importância para o desenvolvimento da menina. Enquanto isso, Buzz, Jessie, Rex, Sr. e Sra. Cabeça de Batata, Rex, Porquinho e Slinky procuram se adaptar à menina.

Woody e Garfinho precisam achar novos caminho, mesmo que não queiram. (Foto: Disney-Pixar)

Levando seus personagens para o desconhecido, Toy Story 4 está concentrado no tema “mudança”, uma vez que Woody mostra-se preso ao que viveu em outro lar, com dificuldade para aceitar sua nova realidade. Por outro lado, o estreante Garfinho, construído a partir de materiais reciclados, exibe resistência sobre a ideia de que tem valor como brinquedo de alguém, ainda enxergando-se como parte do lixo. Em momentos opostos, mas também parecidos, Woody e Garfinho têm a missão de encontrar seus lugares em situações até então inesperadas.

Além dos protagonistas em arcos bem desenvolvidos, será possível conhecer novatos como a boneca Gabby Gabby, a antagonista da trama – que deseja obter a caixa de voz de Woody, para enfim ser adotada por uma criança –, a dupla sinistra Patinho e Coelhinho, a policial miniatura Isa Risadinha e o motoqueiro Duke Caboom – dublado pela sensação Keanu Reeves, na versão original. Introduzidos ainda em Toy Story 3, o tricerátops Trixie, o unicórnio Buttercup e o porco espinho de pelúcia chamado Espero também participam do quarto título da saga.

Crush mundial, Keanu Reeves rouba a cena como Duke Caboom. (Foto: Disney-Pixar)

Mostrando fôlego com uma grande quantidade de novidades, a produção diverte com as fixações de Garfinho e Trixie, pelas confusões em que Buzz Lightyear se mete ao seguir sua “voz interior” e inspira com a liderança feminina de Betty. No entanto, em Toy Story 4, prevalece a nostalgia do reencontro com amigos que remetem à nossa infância e a emoção por vermos estes personagens na vida adulta e pela última vez.

Comentários
Henrique Almeida

Henrique Almeida

Jornalista formado pela FIAM e fundador do Boletim Nerd. Foi colaborador da Coluna Mundo Geek, da GloboNews, e foi palestrante na Campus Party Brasil. Realizou a cobertura da Comic Con Experience, Brasil Game Show e Bienal Internacional do Livro de São Paulo.

Comentários estão fechados.