Entre Facas e Segredos traz excelente trama de suspense e investigação

Influenciado por Agatha Christie ou Arthur Conan Doyle, o filme Entre Facas e Segredos não esconde seu interesse em remeter aos aspectos mais clássicos dos filmes de investigação. Rian Johnson é um roteirista sempre disposto a surpreender o público e um diretor interessado em retratar estas surpresas de forma impactante – ou, no mínimo, empenhada. Conhecido por seu trabalho em Looper e Star Wars: Os Últimos Jedi – sendo esse último um dos filmes mais divisivos da saga –, Johnson traz para o seu novo projeto um estilo “whodunit“, em que a audiência acompanha o desenrolar da trama até descobrir quem é o responsável por um assassinato.

Em Entre Facas e Segredos, acompanhamos a história de Harlan Thrombey (Christopher Plummer, de O Informante), um escritor de romances policiais extremamente bem-sucedido. Após o seu aniversário, Harlan é encontrado morto em sua mansão, tornando todos os que compareceram a festa – na noite anterior – suspeitos de homicídio.

O filme se sustenta sobre o mistério de quem matou Harlan Thrombey. (Foto: Paris Filmes)

Com 2h11 de duração, o longa consegue desenvolver todos os passos de cada suspeito até chegar ao grande plot final. Com elenco estelar, que inclui Chris Evans (Vingadores: Ultimato), Katherine Langford (13 Reasons Why), Toni Collette (Um Grande Garoto), Don Johnson (Miami Vice), Ana de Armas (Blade Runner 2049), Jamie Lee Curtis (Halloween) e Jaeden Martell (It: A Coisa), a obra distribui bem o tempo em cena entre seus personagens na primeira hora do filme, aparecendo menos no decorrer da investigação conduzida por Benoit (Daniel Craig, de 007: Cassino Royale).

Se você já não se surpreende com Craig, que sempre pega papéis de detetive sabichão, aqui se destaca a atuação de Evans, surgindo como um sujeito terrivelmente arrogante e que, por isso mesmo, acaba deixando o espectador incerto em relação ao seu caráter. Ana de Armas acha espaço para brilhar vivendo Marta, uma mulher que, mesmo subjugada por seu status socioeconômico, não permite ser massacrada pelos patrões, trazendo força, confiança e notável senso de humor. Destaque também para Langford que entrega uma ótima atuação, mesmo com pouquíssimo tempo em cena.

Beneficiado por um roteiro inteligente e cheio de reviravoltas, Entre Facas e Segredos é um grande exemplo de como o gênero de investigação com elementos clássicos pode se encaixar nos dias atuais. Mesclando tecnologias recentes com uma ambientação tradicional, o longa aproveita o melhor dos dois mundos e serve como uma excelente demonstração do quanto o cineasta Rian Johnson merece ser acompanhado de perto.

Comentários

Comentários estão fechados.