Dragon Ball Z – O Renascimento de ‘F’ abre caminho para a série “Super”

Faltando menos de um mês para o lançamento de Dragon Ball Super, que começa a ser exibido no dia 5 de julho, na TV nipônica, chega aos cinemas brasileiros o longa-metragem Dragon Ball Z – O Renascimento de ‘F’ (Doragon bôru Z: Fukkatsu no ‘F’, Japão, 2015), com o propósito de ajudar os fãs na transição para a nova fase do anime. Apesar de não se levar muito a sério, o filme utiliza elementos de Dragon Ball Z: A Batalha dos Deuses, ajusta alguns conceitos apresentados e indica o que vem por aí.

Para entender a história, é preciso esquecer os acontecimentos de Dragon Ball GT. Passada após as lutas de Goku com Majin Boo e Bills, o Deus da Destruição, a trama se inicia num período pacífico para os habitantes da Terra, mas de agitação no espaço. Seguindo as ordens de Sorbet, as tropas de Freeza se preparam para ressuscitar o Imperador do Universo através das Esferas do Dragão terrestres, tendo a “ajuda” de Pilaf. Enquanto isso, Kakaroto e Vegeta treinam com Wiss, no outro mundo.

O símbolo nos uniformes de Goku e Vegeta é de Wiss. (Foto: Divulgação/Fox)

O símbolo nos uniformes de Goku e Vegeta pertence à Wiss. (Foto: Divulgação/Fox)

A inserção de Jaco, o Patrulheiro Galáctico (responsável por alertar sobre a vinda de Freeza) e da trilha sonora roqueira são as novidades em relação às produções anteriores. Como em A Batalha dos Deuses, há o uso de computação gráfica em casos pontuais, além da manutenção do bom humor tradicional da franquia, a aparição de personagens carismáticos e tom saudosista – a reedição do confronto entre Goku e Freeza é a prova.

No entanto, embora trailers e pôsteres acenem para uma trama de proporções grandiosas, a revelação da última transformação do vilão não consegue imprimir qualquer sensação de perigo, pois, os heróis atingem com facilidade a forma de Super Saiyajin Deus (diferente da obra lançada em 2013, em aparência e circunstâncias) para encará-lo. Por outro lado, é surpreendente assistir ao Mestre Kame voltar a ação em plena forma. Afinal, há quanto tempo isso não acontece?

À la Dragon Ball, Mestre Kame não se intimida. (Foto: Divulgação/Fox)

À la Dragon Ball, Mestre Kame não se intimida e manda um kamehameha. (Foto: Divulgação/Fox)

Simples e divertido, Dragon Ball Z – O Renascimento de ‘F’ procura mostrar-se atual, atitude evidenciada pela piada sobre a febre das selfies, numa tentativa de anunciar que o anime novo estreará atrativo para as gerações jovens. Infelizmente, prejudicado pelo roteiro previsível, o filme funciona como um tipo de introdução luxuosa para o promissor Dragon Ball Super, ao apresentar as novas dinâmicas, possibilidades e personagens.

Dragon Ball Z – O Renascimento de ‘F’ estreia na quinta-feira (18/06).

Leia mais sobre Dragon Ball Super.

Comentários
Henrique Almeida

Henrique Almeida

Jornalista formado pela FIAM e fundador do Boletim Nerd. Foi colaborador da Coluna Mundo Geek, da GloboNews, e foi palestrante na Campus Party Brasil. Realizou a cobertura da Comic Con Experience, Brasil Game Show e Bienal Internacional do Livro de São Paulo.

Comentários estão fechados.