Com Ben Affleck, O Caminho de Volta é drama sobre alcoolismo e esporte

Lançado diretamente em plataformas de mídia digital por conta das limitações impostas pela atual pandemia do novo coronavírus, O Caminho de Volta (The Way Back, EUA, 2020) marca o retorno de Ben Affleck depois de sua saída de The Batman para tratar de depressão e alcoolismo. Nesta retomada da carreira, o ator explora justamente questões como a luta contra o vício e por uma melhor saúde mental num drama pesado, pessoal e, além de tudo, sincero.

Reeditando a parceria com o diretor Gavin O’Connor (com quem já trabalhou em O Contador), Affleck dá vida a Jack Cunningham, um fenômeno do basquete no colégio, mas que acabou se distanciando do jogo por conta de uma série de problemas familiares. Isolado após o término de seu casamento, Jack passa a trabalhar na construção civil enquanto busca refúgio na bebida antes, durante e depois do expediente. Mas um convite inesperado o faz repensar a vida.

Ben Affleck em cena de O Caminho de Volta

Jack e seu assistente, Dan (Al Madrigal), motivam os meninos a superar suas limitações. (Foto: Warner)

O protagonista se depara com uma proposta para assumir o cargo de treinador do time de basquete da Bishop Hayes High School, instituição de ensino católica que se vê afastada de seus dias de ouro desde os tempos de Cunningham. Acontece que o protagonista sabe que está longe de suas melhores condições, mas também percebe que pode ajudar nos resultados da equipe de sua antiga escola, assim como passar sua experiência ao grupo de meninos.

Com 1h48 de duração, o título choca ao mostrar as tristes condições de vida em que uma pessoa alcoólatra se encontra, passando pela visão da família, colegas e vizinhos. Mas a obra também aponta o vício como resultado de uma sequência de decepções e tragédias. Aos poucos, o espectador vê que Jack Cunningham vem sofrendo diferentes tipos de perdas e, por não conseguir lidar com a dor, acabou encontrando escape numa embriaguez sem fim.

O protagonista ainda tenta se acertar com a ex-mulher, Angela (Janina Gavankar). (Foto: Warner)

Apesar do clima sério e, por vezes, pessimista, O Caminho de Volta nos convida torcer e vibrar junto de seu personagem principal após cada pequena vitória no jogo e na vida – e, para quem acompanhou o noticiário, é impossível desassociar sua jornada a do próprio Ben Affleck. Embora deixe de explorar figuras secundárias, o filme cativa os fãs de esportes com uma competição acirrada e acerta ao exibir um difícil caminho para a superação e sobriedade.

Comentários
Henrique Almeida

Henrique Almeida

Jornalista formado pela FIAM e fundador do Boletim Nerd. Foi colaborador da Coluna Mundo Geek, da GloboNews, e foi palestrante na Campus Party Brasil. Realizou a cobertura da Comic Con Experience, Brasil Game Show e Bienal Internacional do Livro de São Paulo.

Comentários estão fechados.