Cobra Kai: 3ª temporada impulsiona nova rivalidade e faz pazes com passado

Cobra Kai: 3ª temporada impulsiona nova rivalidade e faz pazes com passado

Com estreia antecipada duas vezes pela Netflix, a 3ª temporada de Cobra Kai acabou chegando ao streaming no primeiro dia de 2021. E merecido. Afinal, a série tem o poder de reunir fãs de diversas gerações para uma experiência tão nostálgica quanto atual. E que seja dito, após o final de seus 10 episódios de em média 30 minutos, a nova casa do programa manteve a qualidade demonstrada quando o título estava no serviço pago do YouTube.

Situada duas semanas após a briga entre os dojos Cobra Kai e Miyagi-Do, a temporada traz Johnny Lawrence (William Zabka, de How I Met Your Mother) sofrendo pela tragédia que deixou seu pupilo, Miguel Diaz (Xolo Maridueña, de Parenthood: Uma História de Família), em coma e, posteriormente, imóvel da cintura pra baixo. O conflito generalizado também afetou Daniel LaRusso (Ralph Macchio, de The Deuce), que vê sua concessionária quase falindo.

Cobra Kai: 3ª temporada impulsiona nova rivalidade e faz pazes com passado
Junto de Johnny, Miguel busca superar a paralisia para voltar a lutar. (Foto: Tina Rowden/Netflix)

A narrativa arquitetada pelos showrunners Josh Heald (A Ressaca), Jon Hurwitz (American Pie: O Reencontro) e Hayden Schlossberg (Madrugada Muito Louca) ainda tem Robby Keane (Tanner Buchanan, de Designated Survivor), filho de Johnny, revoltado e cumprindo pena em um reformatório, e Samantha (Mary Mouser, de Body of Proof), a filha de Daniel, temendo se envolver novamente em uma luta com a rival Tory Nichols (Peyton List, de Acampados).

Todos contra Kreese

Enquanto Johnny e Daniel recolhem os cacos, John Kreese (Martin Kove, de Rambo II: A Missão) comanda o dojo Cobra Kai, com práticas perigosas. O incentivo à agressividade do antigo mentor de Johnny faz com que seus alunos perpetuem brigas na escola e nas ruas, o que prejudica a maneira como as artes marciais são vistas pela comunidade. Assim, Kresse faz de Falcão (Jacob Bertrand, de Kirby Buckets) e companhia um bando de valentões.

Entre uma série de flashbacks que contam a história de Kreese na guerra do Vietnã, o personagem se consolida como o verdadeiro vilão do seriado, atacando Johnny e Daniel tanto no âmbito profissional quanto no pessoal. E essa é a deixa para a cena final da temporada.

Em paz com o passado

Provando que Johnny e Daniel são dois lados de uma mesma moeda, o terceiro ano da atração tem os dois protagonistas em caminhos parecidos. À medida que Daniel busca direção em uma viagem ao Japão e reencontra dois personagens de Karatê Kid 2: A Hora da Verdade Continua (1986), Johnny enfim tem a oportunidade de se reencontrar com Ali Mills (Elisabeth Shue, retornando ao papel), sua namorada no primeiro título da saga oitentista e a quem jamais conseguiu esquecer. É assim que ambos encontram clareza para seguir em frente.

Tão emotiva quanto eletrizante, Cobra Kai não tem a mínima dificuldade em conquistar o telespectador, deixando-nos todos ansiosos para a próxima temporada!

Comentários
Next Post

Soul descomplica jornada humana em animação

Joe Gardner (voz de Jamie Foxx, de Ray) é um apaixonado pelo jazz. Embora seu grande sonho sempre tenha sido exibir seu talento ao piano nos clubes noturnos nova-iorquinos, ele ganha a vida como professor de música em uma escola, tentando ensinar notas e harmonias a um grupo de alunos […]
Soul descomplica jornada humana em animação