Black Lightning: 3ª temporada fala de amadurecimento e família

Lançada em 26 de março na Netflix, a terceira temporada de Black Lightning chegou como consolidação da série agora integrada ao chamado Arrowverse – universo criado por Arrow e compartilhado por The Flash, Supergirl, DC’s Legends of Tomorrow e Batwoman. Neste ano, a produção pões os habitantes de Freeland diante da ameaça da ASA (Agência de Segurança Americana) e explora a invasão dos exércitos de Markóvia. Diante de um cenário de guerra, a família Pierce precisa superar suas diferenças e reunir seus superpoderes para conseguir sobreviver.

Com 16 episódios em sua nova fase, a atração original do canal norte-americano The CW começa em tom pessimista, com Jefferson Pierce (Cress Williams, de Hart of Dixie), o Raio Negro, como um dos meta-humanos confinados pela ASA, escusa agência governamental liderada por Odell (Bill Duke, de O Predador). Lá fora, suas filhas tomam caminhos distintos. Anissa (Nafessa Williams, de Code Black), assume a identidade de Pássaro Negro – o símbolo da resistência –, enquanto Jennifer (China Anne McClain, de Gente Grande) aceita trabalhar para Odell.

Jennifer, a caçula de Jefferson, passa a atuar como a heroína Rajada. (Foto: The CW)

Quando enfim volta às ruas, Jefferson tenta retomar sua vida, seu emprego na Garfield High e suas atividades como herói, mas logo percebe que Freeland está diferente. Agora, a cidade é regida pelos agentes da ASA, que afirmam estar trabalhando contra a invasão markoviana. Mesma assim, durante boa parte da trama fica a dúvida: será que Freeland está realmente próxima de uma guerra ou tudo isso se trata de um golpe de Odell? Afinal, o objetivo do vilão é alcançar uma fórmula para estabilizar meta-humanos e usá-los como seu batalhão particular.

Tobias Whale (Marvin ‘Krondon’ Jones III, de Homem-Aranha no Aranhaverso) segue encarcerado. Então a história passa a desenvolver personagens secundários e estreantes. Desta forma, o seriado aproveita para explorar a jornada de Khalil (Jordan Calloway, de Riverdale), que trava batalha para se libertar de seu lado malvado, o Painkiller. Além disso, temos novatos como Brandon (Jahking Guillory, de Kicks), o novo interesse amoroso de Jennifer – e uma versão alternativa de Geo-Força –, e o jovem tecnocrata apelidado de TC (Christopher Ammanuel, de Shots Fired).

Primeiro meta-humano, Coveiro tem o poder de controlar qualquer pessoa. (Foto: The CW)

Numa temporada repleta de decisões difíceis, perdas e alianças frágeis, a narrativa ganha mais peso quando as coisas se tornam pessoais. Atual/ex-esposa de Jefferson, Lynn (Christine Adams, de Terra Nova) sofre com o vício pela droga Luz Verde, numa tentativa de salvar adolescentes metas ao avançar no desenvolvimento do estabilizador de poderes. Já o antagonista Coveiro (Wayne Brady, de Colony) revela-se alguém muito próximo dos Pierce, o que obriga o protagonista questionar seus valores e encarar sua mortalidade numa batalha monumental.

Ressaltando o valor da cooperação, a 3ª temporada de Black Lightning se faz um bom entretenimento para quem curte o gênero de super-heróis e avança como poucos títulos neste catálogo como drama familiar.

Comentários
Henrique Almeida

Henrique Almeida

Jornalista formado pela FIAM e fundador do Boletim Nerd. Foi colaborador da Coluna Mundo Geek, da GloboNews, e foi palestrante na Campus Party Brasil. Realizou a cobertura da Comic Con Experience, Brasil Game Show e Bienal Internacional do Livro de São Paulo.

Comentários estão fechados.