Animação Thor: O Filho de Asgard conta as origens do Deus do Trovão

Se você viu o Crepúsculo dos Deuses em Thor: Ragnarok, chegou a hora de conhecer as origens do Príncipe de Asgard na animação Thor: O Filho de Asgard (Thor: Tales of Asgard, EUA/Canadá, 2011), com sua aventura épica através dos nove mundos da árvore da vida Yggdrasil. Dirigido por Sam Liu (Batman: A Piada Mortal), o filme, com 1h17 de duração, regressa às raízes de Thor, num tempo muito antes de o futuro Vingador brandir o martelo mágico Mjölnir e desenvolver uma rivalidade mortífera com seu irmão Loki, o Deus da Trapaça.

Antes do martelo, veio a espada! (Foto: Marvel)

Com Thor, Loki e Lady Sif ainda adolescentes, a atração lançada pela Marvel Animation se concentra no desejo dos jovens em provar seu valor, superar limites e encontrar suas respectivas identidades na cidade dourada. Deste modo, Thor é mimado pelos seus súditos, Loki busca dominar sua magia como aprendiz de Amora (também conhecida como a vilã Encantor) e Sif se vê próxima das guerreiras Valquírias. Porém, enquanto a moça se dedica aos treinamentos, os filhos de Odin decidem se arriscar em uma missão à procura da Espada de Surtur.

Em Thor: O Filho de Asgard, Loki não é caracterizado como vilão. (Foto: Marvel)

Esnobe e imprudente, Thor convence Loki a viajar escondidos com os Três Guerreiros – Volstagg, Fandral e Hogun – numa jornada até o gelado mundo de Jotunheim, onde ocorreu a batalha derradeira entre Odin contra o demônio flamejante de Muspelheim. No entanto, procurar pela espada de Surtur se mostra uma transgressão ao frágil tratado de paz sacramentado entre Asgard e os gigantes de gelo comandados pelo Rei Thrym e pelo herdeiro do trono, Geirmarr, resultando numa crise entre reinos. À beira da guerra, cabe a Thor achar uma solução pacífica.

Thor precisa romper os ímpetos da juventude para entrar em acordo com os gigantes de gelo. (Foto: Marvel)

Bastante semelhante a Thor (2011), da Marvel Studios, o filme animado fala sobre como Thor precisa amadurecer e superar seu gosto pela violência para se tornar um bom aspirante ao governo de Asgard – mas, desta vez, deve provar a Sif que não é tão superficial quanto parece. Além disso, o Deus do Trovão tem de encarar a fúria do Elfo Negro Algrim (visto como Kurse, em Thor: O Mundo Sombrio), ressentido por Odin, o Pai de Todos ter negado ajuda ao seu povo, quando Svartalfheim foi invadida pelos gigantes de gelo.

Algrim é o inimigo que tenta destruir Asgard de dentro para fora. (Foto: Marvel)

Com roteiro assinado por Greg Johnson (X-Men: Evolution) e Craig Kyle (Thor: Ragnarok), Thor: O Filho de Asgard exibe uma envolvente saga mítica que conta os primórdios dos icônicos personagens criados pela dupla Stan Lee e Jack Kirby, o humor dos Três Guerreiros e uma participação do lobo Fenris.

Comentários
Henrique Almeida

Henrique Almeida

Jornalista formado pela FIAM e fundador do Boletim Nerd. Foi colaborador da Coluna Mundo Geek, da GloboNews, e foi palestrante na Campus Party Brasil. Realizou a cobertura da Comic Con Experience, Brasil Game Show e Bienal Internacional do Livro de São Paulo.

Comentários estão fechados.