Acampamento Jurássico: animação dá novo olhar para Jurassic World

Jurassic World: O Mundo dos Dinossauros não só apresentou um olhar moderno para a franquia ao mostrar como seria realmente o parque em toda sua glória, como abriu portas para novas ideias. Acampamento Jurássico, animação que estreou na Netflix em 18 de setembro, é uma delas.

Na história, acompanhamos Darius Bowman, um garoto fascinado por dinossauros, que está tentando zerar um game em realidade virtual para conseguir um ingresso para o Acampamento Jurássico, que fica na ilha do Jurassic World. Levar o menino ao parque temático foi uma promessa do pai de Darius, mas ele adoeceu e acabou falecendo antes de conseguir cumpri-la.

Os protagonistas da animação apresentam pluralidade cultural. (Foto: Netflix)

Já na ilha, conhecemos os outros integrantes do sexteto adolescente: Yasmina Fadoula, Ben Picus, Kenji Kon, Sammy Gutierrez e Brooklynn. Todos monitorados por Dave e Roxie.

Todos os personagens seguem os estereótipos de produções para crianças dos anos 1990, com Darius sendo o único que realmente gostaria de estar ali. Kenji é filho de um dos figurões do complexo e o causador de problemas do grupo. Yasmina é corredora patrocinada pela InGen, que mantém o parque; Brooklynn é a influenciadora digital convidada para promover o acampamento, enquanto Ben e Sammy são filhos de fornecedores do Jurassic World.

Outro lado do parque

Se os personagens trazem um perfil batido, os primeiros episódios dão a impressão de que serão bem no esquema do que já vimos antes, com as crianças se colocando em perigo somente pela curiosidade da aventura para serem salvas pelos instrutores do Acampamento Jurássico.

Ao longo dos oito episódios, vemos o grupo explorando muitas das atrações mostradas no primeiro longa da nova trilogia, como as velosferas transparentes, e interagindo com os dinossauros. Como no primeiro Jurassic Park, de 1993, eles fazem parte do grupo de testes, que teve acesso antecipada para ver como será o Acampamento Jurássico quando ele estiver completamente operacional.

Com trama inteligente, o programa é indicado para crianças e adultos. (Foto: Netflix)

Mas, tudo muda quando a fuga da Indominus Rex transforma tudo em um pesadelo, assim como no longa de 2015. Aliás, um dos pontos altos da animação é mostrar o outro lado da confusão que Claire (Bryce Dallas Howard) e Owen (Chris Pratt) estão passando para escapar do dinossauro híbrido. Dali em diante, as crianças desenvolvem a parceria que precisam para encontrar os monitores, tentar chegar às docas e escapar do parque com vida.

Infantil, mas não tanto

O que realmente faz a diferença na trama é a inteligência do grupo para fugir dos apertos e um certo clima de mistério, uma vez que um deles tem motivos um tanto escusos para estar no parque. Outro acerto da produção é que, embora não tenha nada explícito em termos de violência, não menospreza a inteligência do público e mostra que sim, pessoas podem ser comidas pelos dinossauros, dando tom de realidade ao perigo. E ninguém está a salvo.

Com gancho para uma segunda temporada, Acampamento Jurássico é entretenimento interessante e obra obrigatória para os fãs da franquia. E ainda pode trazer mais rostos conhecidos de volta, como o Dr. Ian Malcolm (Jeff Goldblum), uma vez que é produzida pela Amblin Entertainment – de Steven Spielberg –, dos longas para cinema. Resta saber se o próximo ano será um lado B de Jurassic World 2: Reino Ameaçado ou algo novo para a história.

Comentários
Carlos Bazela

Carlos Bazela

Jornalista e leitor compulsivo, gosta de cerveja, café e chá preto não necessariamente nessa ordem. Fã de boas histórias, principalmente daquelas contadas por meio de desenhos e balões.

Comentários estão fechados.