5ª temporada: mesmo imperfeita, Gotham deixará saudades

Mais curta e com passagens de tempo, a 5ª temporada de Gotham chegou para contar a ascensão de Bruce Wayne (David Mazouz, de A Escuridão) como Batman, inspirando-se nas histórias em quadrinhos Ano Zero e Terra de Ninguém.  Antes de sua conclusão no centésimo episódio, a série criada por Bruno Heller (O Mentalista) explora uma Gotham City mais caótica do que o normal, momento este que funciona como forja para os melhores e piores elementos da cidade. Contudo, alguns velhos voltaram a atrapalhar a narrativa.

A princípio, o programa baseado em “Gotham City contra o crime”, de, acompanha os desdobramentos das ações do insano Jeremiah Valeska (Cameron Monaghan, de Reino do Superman) no encerramento da quarta temporada, quando as saídas de Gotham são destruídas. Agora, os vilões Coringa (Monaghan), Pinguim (Robin Lord Taylor, de John Wick 3: Parabellum), Espantalho (David Thompson, de As Excluídas) e Hera Venosa (Peyton List, de Colony) dividem o domínio sobre os territórios da metrópole, criando uma zona de guerra.

Na 5ª temporada, Gotham leva Coringa até sua origem na Ace Chemicals. (Foto: FOX)

No Departamento de Polícia de Gotham City, Jim Gordon (Ben McKenzie, de O.C.: Um Estranho no Paraíso) e Harvey Bullock (Donal Logue, de Vikings) tentam dar amparo aos necessitados, apesar de sofrerem com o boicote do governo – que, por medo da violência, se recusa a enviar suprimentos à cidade. Deste modo, a força policial local precisa lidar com novas ameaças, como Mother (Susannah Rogers, de Mr. Robot: Sociedade Hacker) e Orphan, o marionete Scarface e o seu Ventríloquo (Andrew Sellon, de Lista Negra) e Magpie (Sarah Schenkkan, de TURN).

Utilizando seus ilimitados recursos para ajudar a população, o jovem Wayne se torna um dos pilares de sustentação da cidade e braço direito de Jimbo, já colocando em prática seu treinamento como vigilante. Porém, o protagonista só realmente se vê contra a parede quando precisa salvar Selina Kyle (Camren Bicondova, de No Ritmo do Passinho), ainda mais semelhante à descrição das HQs. Outro ponto importante no arco do “patrão Bruce” é a aparição de Nyssa Al Ghul (Jaime Murray, de Defiance), que deseja vingar a morte do pai.

Em algum momento, este personagem sequer lembra Bane? (Foto: FOX)

De início impactante, a atração promete entregar histórias situadas em diversos pontos da crise instaurada em Gotham, mas, com o passar de seus 12 capítulos, vemos tramas repetindo-se sem de fato agregar ao quadro geral, o que torna a experiência frustrante. Um exemplo disso é Bane (Shane West, de Um Amor para Recordar), que vem como a estreia mais esperada da temporada. Entretanto, o vilão é extremamente prejudicado por uma história de origem distorcida, piorada por seu visual – abaixo de qualquer versão para o cinema, TV e gibis – e fixação por Gordon.

Afago tardio para a audiência, o episódio que encerra Gotham nos leva à Cidade das Sombras dez anos depois, quando Bruce retorna já adulto e caracterizado como Cavaleiro das Trevas, para dizer: “eu sou o Batman!”. O salto no tempo é benéfico, dando clima mais nostálgico e até divertido à série, além de apresentar os personagens com aparência, como Jim Gordon de bigode, Charada (Cory Michael Smith, de O Primeiro Homem) e Pinguim com seus uniformes coloridos.

Série completa o caminho de Bruce Wayne até se tornar o Batman! (Foto: FOX)

Apesar de aquém das expectativas, é inegável que o seriado deixará saudades.

Comentários
Henrique Almeida

Henrique Almeida

Jornalista formado pela FIAM e fundador do Boletim Nerd. Foi colaborador da Coluna Mundo Geek, da GloboNews, e foi palestrante na Campus Party Brasil. Realizou a cobertura da Comic Con Experience, Brasil Game Show e Bienal Internacional do Livro de São Paulo.

Comentários estão fechados.