Turma da Mata – Muralha é RPG steampunk e ecológico

O gênero steampunk é um dos preferidos da cultura pop. A reprodução de tecnologia atual por meio de ferramentas antigas é um recurso usado por muitos autores com sucesso e Turma da Mata – Muralha não foge a essa regra.

Nesta história escrita por Artur Fujita e desenhada por Roger Cruz, com cores de David Calil, um metal muito raro, o Calerium, que aquece em contato com a água, foi o responsável por colocar os habitantes da Mata na era do vapor. Naus aéreas cruzam os céus e o reino do Rei Leonino é agora cercado por uma muralha intransponível que mantém os inimigos longe.

Muralha aposto em uma nova apresentação para os personagens de Mauricio de Sousa. (Foto: MSP)

É nesse lugar que vive o Jotalhão. Filho de um lendário guerreiro, o último elefante verde é contido e trabalha como escriturário para Zé Fuinha em um regime de quase escravidão, após ter sido tirado de uma das minas de Calerium. Após anos de exploração do minério, o reino vai mal ao ponto de o Rei Leonino II ir buscar apoio político e econômico além da muralha.

As esperanças de todos parecem perdidas quando a Nau de Leonino explode no ar. Quem fica no poder é Luis Caixeiro, leal servente do rei, mas ingênuo o suficiente para seguir os mandos e desmandos de Zé Fuinha.

Amizade e política

Embora a HQ tenha um tema sério, com mensagens ecológicas sobre preservação da natureza e manipulação política, o espírito de amizade e superação pelo qual os títulos mais infantis de Mauricio de Sousa são conhecidos, está presente.

Temos a genialidade do Tarugo, que decide ser um guerreiro, nem que precise criar uma armadura movida a Calerium para isso, a bravura de Rita Najura que desafia todo perigo mesmo em tamanho diminuto e o desafio do Coelho Caolho em colocar o rancor para trás e abraçar novamente um amigo de longa data para colocar fim à opressão do Fuinha.

Preservação ambiental dá o tom da aventura de Mauricio de Sousa. (Foto: MSP)

Com esses elementos embalados numa aventura estilo RPG, Turma da Mata – Muralha segue a proposta das Graphic Novels MSP, com uma narrativa densa e muita ação para os adultos que cresceram lendo os personagens e o clima de magia com animais falantes com o qual crianças de todas as idades podem se divertir.

Turma da Mata – Muralha
Autores: Artur Fujita (roteiro), Roger Cruz (desenhos), Davi Calil (cores)
Editora: Panini
Capa: dura
Lombada: quadrada
Páginas: 82
Formato: 28 x 19,2 cm
Lançamento: setembro/2015

Comentários
Carlos Bazela

Carlos Bazela

Jornalista e leitor compulsivo, gosta de cerveja, café e chá preto não necessariamente nessa ordem. Fã de boas histórias, principalmente daquelas contadas por meio de desenhos e balões.

Comentários estão fechados.