Powerless: Heróis e vilões viram piada na primeira sitcom da DC Comics

Em um mundo repleto de heróis e vilões lutando entre si diariamente, quem poderá salvar as pessoas comuns contra os efeitos colaterais das ações desses seres superpoderosos? Para responder a essa questão, o canal norte-americano NBC (que exibiu e cancelou Constantine) apresenta Powerless, uma série de comédia que acompanha a rotina dos funcionários da Wayne Security – seguradora focada em criar produtos para proteger os impotentes do panteão de fantasiados da DC Comics –, num tipo de The Office situado no universo das histórias em quadrinhos.

O último grande lançamento da Wayne Security foi o antiveneno do Coringa. (Foto: Evans Vestal Ward/NBC)

O último grande lançamento da Wayne Security foi o antiveneno do Coringa. (Foto: Evans Vestal Ward/NBC)

Primeira sitcom da DC Comics, a atração se passa em Charm City, metrópole onde Emily Locke (Vanessa Hudgens, de High School Musical) chega para ocupar o cargo de Chefe de Pesquisa e Desenvolvimento na subsidiária da Wayne Enterprises, com a missão de motivar sua equipe e elaborar algo inovador o bastante para levar o patrão Van Wayne (Alan Tudyk, de Rogue One: Uma História Star Wars) – um primo distante de Bruce – ao escritório da empresa em Gotham City. Contudo, para isso, Emily deve superar a desconfiança dos colegas e a má vontade do Wayne pentelho.

Wayne or Lose: O título do episódio piloto é um trocadilho para "Ganhar ou Perder". (Foto: Evans Vestal Ward/NBC)

Wayne or Lose: O título do episódio piloto é um trocadilho para “Ganhar ou Perder”. (Foto: Evans Vestal Ward/NBC)

Em seu episódio inicial – intitulado Wayne or Lose –, Powerless trata de introduzir sua protagonista ao seu time, composto por Teddy (Danny Pudi, de Community), o diretor de design; o Ron (Ron Funches, de Os Impegáveis), o chefe de engenharia; Wendy (Jennie Pierson, de Apartment 23), a encarregada de software; e a secretária chamada Jackie (Christina Kirk, de De A a Z). Além disso, Emily precisa bolar um item que previna o povo das brigas da Raposa Escarlate (Atlin Mitchell, de The Flash) com Fogo-Fátuo (Kimani Ray Smith, de Smallville).

Apenas um dia normal na caótica Charm City. (Foto: Chris Large/NBC)

Apenas um dia normal na caótica Charm City. (Foto: Chris Large/NBC)

Aparentemente, a série tem carta branca para brincar com todos os personagens da DC Comics (embora muitos sejam apenas mencionados), mas, a princípio, não irá se relacionar com as tramas narradas em Arrow, Gotham, The Flash, Supergirl e DC’s Legends of Tomorrow, que são outros programas inspirados nos quadrinhos da editora. Deste modo, a irreverente atração faz indiretas a Batman vs Superman: A Origem da Justiça e ao presidente dos EUA Donald Trump, cita a LexCorp e traz diversos easter eggs (Powerless começa com uma manchete sobre Lex Luthor).

Enquanto a heroína Crimson Fox/Raposa Escarlate tenta deter o vilão Jack O’Lantern/Fogo-Fátuo, Emily Locke e seus colaboradores precisam salvar a Wayne Security do fechamento. (Foto: Evans Vestal Ward/NBC)

Enquanto a heroína Crimson Fox/Raposa Escarlate tenta deter o vilão Jack O’Lantern/Fogo-Fátuo, Emily Locke e seus colaboradores precisam salvar a Wayne Security do fechamento. (Foto: Evans Vestal Ward/NBC)

Com uma bela abertura estrelada pelos personagens da Liga da Justiça, Powerless mostra de forma divertida que até mesmo quem não tem poderes pode fazer a diferença em um mundo de deuses e monstros.

No Brasil, Powerless estreia no Warner Channel em 12 de março, às 23h.

Comentários
Henrique Almeida

Henrique Almeida

Jornalista formado pela FIAM e fundador do Boletim Nerd. Foi colaborador da Coluna Mundo Geek, da GloboNews, e foi palestrante na Campus Party Brasil. Realizou a cobertura da Comic Con Experience, Brasil Game Show e Bienal Internacional do Livro de São Paulo.

Comentários estão fechados.