O Mundo Sombrio de Sabrina é a retomada macabra da bruxinha

Criada pelos quadrinistas George Gladir e Dan DeCarlo para as publicações da Archie Comics no ano de 1962, Sabrina ficou conhecida no Brasil pela divertida série dos anos 1990 estrelada por Melissa Joan Hart e, recentemente, pela nova versão da Netflix. De volta à mídia original, a bruxinha tem sua história de origem recontada em “O Mundo Sombrio de Sabrina”, HQ com roteiro escrito por Roberto Aguirre-Sacasa e ilustrações assinadas por Robert Hack.

Originalmente publicada em 2014, a obra chegou por aqui em abril de 2019 como um lançamento do selo Geektopia, da Editora Nova Século. Nela, o leitor tem a oportunidade de acompanhar todo o desenvolvimento da personagem, antes mesmo de seu nascimento. Afinal, é neste momento que são traçados os dramas e conflitos enfrentados por Sabrina em sua juventude, como o desaparecimento de seus pais e a rejeição sofrida pela Igreja da Noite.

O Mundo Sombrio de Sabrina em quadrinhos

Apesar do drama adolescente, a HQ investe em cenas de suspense e violência.

Ambientada na década de 1960 – período em que Sacasa descreve como o auge de filmes de bruxas –, a trama segue as desventuras de Sabrina e sua família, que passou a ser composta pelas tias Zelda e Hilda Spellman, assim como o gato falante Salem. Se você assistiu ao programa protagonizado por Kiernan Shipka, já sabe que Zelda é a tia mais rígida, enquanto Hilda se mostra compreensiva com a menina. Logo, o primo Ambrose também é introduzido.

O cenário é firmado na cidade de Greendale, próxima de nada menos que Riverdale, e lá a narrativa se concentra no aniversário de 16 anos de uma Sabrina Spellman estabelecida entre o mundo humano e o cenário mágico. Porém, agora mais perto da maioridade, a jovem precisa decidir entre a vida mortal como sua mãe ou seguir o legado de seu pai e assinar seu nome no Livro da Besta para servir ao Senhor das Trevas – e, com seus poderes, obter vida eterna.

Betty e Veronica em O Mundo Sombrio de Sabrina

Com Betty e Veronica, a obra aproveita o repertório de personagens da Archie Comics.

Mesmo com as participações de Betty Cooper e Veronica Lodge, os personagens mais próximos de Sabrina são Harvey Kinkle, o popular namorado mortal da menina, e a vilã chamada Madame Satã – um demônio invocado do inferno com enorme desejo de vingança por Sabrina. Inspiração para Mary Wardwell na produção em live-action, a antagonista tem uma forte ligação com o passado do pai de Sabrina e deixa um terrível rastro de sangue por onde passa.

Sem censura, a graphic novel investe em um clima de total terror resultado da devoção de Sacasa a clássicos como O Exorcista e O Bebê de Rosemary, mas também graças à arte de Hack nos desenhos – com traços elaborados dando maturidade ao enredo – e na escolha de tons sombrios misturados a cores quentes, dando a cada página uma atmosfera infernal. Além disso, a leitura vale pela força de Sabrina em quebrar paradigmas e fazer o que quer.

Comentários
Henrique Almeida

Henrique Almeida

Jornalista formado pela FIAM e fundador do Boletim Nerd. Foi colaborador da Coluna Mundo Geek, da GloboNews, e foi palestrante na Campus Party Brasil. Realizou a cobertura da Comic Con Experience, Brasil Game Show e Bienal Internacional do Livro de São Paulo.

Comentários estão fechados.