Dragon Ball Z: Kakarot entrega melhor experiência inspirada em anime

Lançado no dia 16 de janeiro deste ano para PlayStation 4, Xbox One e PC, Dragon Ball Z: Kakarot chegou prometendo uma experiência imersiva no universo do mangá e anime clássico criado por Akira Toriyama. Na prática, o que o game oferece é um RPG que segue as quatro sagas da aventura de Goku e companhia, dando ao jogador a possibilidade de lutar, se fortalecer e interagir com os personagens deste aclamado título. Tudo isso pode não parecer novidade quando falamos em jogos de Dragon Ball Z, mas a fórmula surpreende e funciona na nova geração!

Desenvolvido pela Bandai Namco EntertainmentCyberConnect2, o game inicialmente disponibiliza somente o modo campanha, no qual podemos controlar Goku, Gohan, Piccolo, Vegeta, Trunks (do futuro), Goten, Gotenks e o Vegetto, além de juntar forças com Kuririn, Yamcha, Tenshinhan, Caos, Androide Nº 18 e Trunks (versão criança) – como suporte. O objetivo, claro, é derrotar vilões como Raditz, Freeza, Cell e Majin Boo. No entanto, para finalizar cada saga, você precisa superar antagonistas intermediários e adversários genéricos que surgem no caminho.

No game, vocês escolhe suas habilidades e as desenvolve como preferir. (Foto: Bandai Namco)

Com mapa aberto – a exemplo do sucesso de Dragon Ball Z: Budokai Tenkaichi 3 –, Kakarot incentiva a exploração de cada cenário já visto em Dragon Ball e sua continuação, permitindo o desenvolvimento dos personagens, que podem subir de nível conforme ganham experiência e conquistar habilidades novas e mais poderosas em desafios específicos. Em 30 horas de jogo, você não terá apenas batalhas pela frente, uma vez que grande parte do game é composta por missões que incluem caça, pesca e a coleta de itens – como as sete Esferas do Dragão.

Longe do sistema 2D de Dragon Ball FighterZ, a obra investe em combate em arenas abertas, nas quais você poderá correr, voar e mergulhar, escolhendo a melhor abordagem para cada tipo de inimigo – alguns chefões são derrotados com mais facilidade em uma luta corpo a corpo, enquanto outros podem ser derrubados à distância. Deste modo, os enfrentamentos assemelham-se às mecânicas da série “Dragon Ball: Xenoverse”. Por aqui, entretanto, o destaque são as transformações que, quando alcançadas, têm real impacto na força e velocidade dos lutadores.

Divertido e desafiador, Dragon Ball Z: Kakarot impressiona pela qualidade dos gráficos das animações e seu gameplay, promove pequenas (e acertadas!) mudanças no enredo original e te faz querer superar limites mesmo quando a história termina.

Comentários
Henrique Almeida

Henrique Almeida

Jornalista formado pela FIAM e fundador do Boletim Nerd. Foi colaborador da Coluna Mundo Geek, da GloboNews, e foi palestrante na Campus Party Brasil. Realizou a cobertura da Comic Con Experience, Brasil Game Show e Bienal Internacional do Livro de São Paulo.

Comentários estão fechados.