O Despertar da Força na Campus Party

Recordes de bilheteria e arrecadação, indicações a prêmios importantes e a adoração de fãs de diferentes gerações, estes foram apenas alguns dos feitos de Star Wars: O Despertar da Força. Para entender por que a franquia faz tanto sucesso (e continuará fazendo!), a Campus Party Brasil 2016 reuniu uma equipe de especialistas para analisar o passado da série de filmes, seus desdobramentos transmídia e contar curiosidades sobre a saga imaginada por George Lucas.

Em “Star Wars: o blockbuster que reinventou a maneira de ver e fazer filmes”, palestra na qual o crítico de cinema Roberto Sadovski e Salvador Nogueira, autor do especial da Superinteressante sobre o tema, falaram sobre como os longas marcaram a cultura pop desde seu primeiro lançamento no ano de 1977,  com a estreia de Uma Nova Esperança. “Star Wars mostrou que filmes espaciais tinham público”, afirmou Salvador, lembrando que isso diferenciou a aventura das obras mais sérias e realistas que predominavam na época.

Star Wars Uma Nova Esperança na Campus Party Brasil 2016 01

Sem os efeitos especiais atuais, George Lucas recorreu a maquetes. As câmeras é que se moviam.

Enquanto isso, Sadovski classificou a franquia como “um acidente feliz”, apontando que a tecnologia necessária para a realização das filmagens ainda não existia no fim da década de 70, poucos atores e diretores tinham interesse no projeto e que certas decisões foram tomadas sem planejamento. Entretanto, apesar da desconfiança e improvisos, Salvador reitera que George Lucas sempre ambicionou fazer de Star Wars uma saga episódica.

Criado por “um bando de malucos que não sabia o que estava fazendo”, conforme Sadovski, Star Wars junta curiosidades. “Originalmente, Luke e Leia nunca foram irmãos”, contou Roberto Sadovski, dizendo que uma irmã Skywalker apareceria em O Retorno do Jedi (1983). Outro fato pouco conhecido é que Mark Hamill (Luke), Carrie Fisher (Princesa Leia) e Harrison Ford (Han Solo) não eram o trio de protagonistas que Lucas desejava desde o início.

Sobre O Despertar da Força, o apresentador do canal Nerdovski elogiou o trabalho de direção do cineasta J. J. Abrams (Além da Escuridão – Star Trek), que traz uma grande questão no Episódio VII, ou seja, “onde está Luke Skywalker?”. Revelando o final do novo blockbuster para alguns espectadores que ainda não assistiram ao longa-metragem, Sadovski comentou que o personagem Han Solo “tem função dramática no Despertar da Força”.

Star Wars: The Force Awakens L to R: Rey (Daisy Ridley) and Han Solo (Harrison Ford) Photo Credit: David James ©Lucasfilm 2015

Star Wars: O Despertar da Força coloca duas gerações lado a lado. (Foto: Lucasfilm)

Na palestra “Star Wars VII para além do passado e do futuro: uma abordagem transmídia”, conduzida por Dimas Dion, diretor de comunicação da associação EraTransmídia, Marcel Nadale, editor da Mundo Estranho, Rodrigo Terra, consultor da TV Globo, e os roteiristas Rodrigo Hurtado e Rodrigo Arnaut, a abordagem foi sobre os desdobramentos multiplataforma de Star Wars. Afinal, como disse Hurtado, este é “o maior produto da indústria do entertainment”.

De acordo com o grupo de estudiosos, George Lucas teve a intenção de transportar Star Wars para mídias variadas, uma ação impulsionada pela demanda dos fãs. “O conteúdo principal era tão poderoso que começou a gerar cultura”, explicou Dimas. Sendo assim, a marca deu origem a seriados de TV, animações (The Clone Wars e Rebels), quadrinhos, álbuns de figurinhas, itens colecionáveis e até a religiões. Duvida? “Tem igreja jedaiísta”, confirmou Dimas.

Com Star Wars: O Despertar da Força, a saga mais uma vez comprovou sua importância, pois, faltando 15 dias para seu lançamento, foram registradas 574 mil conversas e 664 teorias diferentes sobre a superprodução. Por causa de tal relevância, Star Wars agora investe em conteúdos inéditos e complementares para os videogames, são os casos de Battlefront (situado no planeta de Rey) e Disney Infinity (que traz um spoiler sobre o futuro da série cinematográfica). “É a Disney entregando pedaços da história em outras mídias que não são os filmes”, falou Rodrigo Terra.

Star Wars Battlefront Jakku

Em Star Wars: O Despertar da Força, Rey é apresentada em Jakku, cenário de Battlefront. (Foto: Divulgação)

Considerando que o tema escolhido para esta edição da Campus Party Brasil era Feel the Future (“Sinta o Futuro”), previsões não poderiam ficar de fora. Deste modo, os especialistas convidados para palestrar estimam que o interesse por Star Wars seja mantido ou aumente.

Comentários
Henrique Almeida

Henrique Almeida

Jornalista formado pela FIAM e fundador do Boletim Nerd. Foi colaborador da Coluna Mundo Geek, da GloboNews, e foi palestrante na Campus Party Brasil. Realizou a cobertura da Comic Con Experience, Brasil Game Show e Bienal Internacional do Livro de São Paulo.

Comentários estão fechados.