7ª temporada: Arrow mira presente e futuro antes do adeus

Penúltima temporada de Arrow, a sétima saga da série da DC Comics chegou com o desafio de encerrar o arco do vilão Ricardo Diaz (Kirk Acevedo, de 12 Macacos), assim como construir a estrutura para a “aposentadoria” de Oliver Queen (Stephen Amell, de As Tartarugas Ninja: Fora das Sombras) como Arqueiro Verde. Contando com novos personagens, participações especiais e algumas despedidas, o programa inovou ao desenvolver duas tramas distintas: uma situada no presente e outra no ano de 2049.

A atração procura caminhos inesperados para manter sua audiência, tanto que leva a equipe do Arqueiro para trabalhar legalmente com a polícia de Star City, tendo que revelar a público suas identidades. Sob o comando da Canário Negro Dinah Drake (Juliana Harkavy, de Winter, o Golfinho), a unidade de vigilantes é reforçada pelo Espartano John Diggle (David Ramsey, de Blue Bloods), Cão Raivoso Rene Ramirez (Rick Gonzalez, de Dias Incríveis) e pela Observadora Felicity Smoak (Emily Bett Rickards, de Brooklyn), além do próprio Arqueiro Verde.

Oliver passa a atuar sem máscara nesta temporada. (Foto: The CW)

No entanto, antes da redenção dos heróis, o seriado explora a vulnerabilidade da cidade com o retorno de Ricardo Diaz, enquanto Oliver Queen começa essa 7ª temporada como o detento 4587, no presídio de segurança máxima Slabside. Neste cenário, o protagonista precisa se unir ao antagonista Tigre de Bronze Ben Turner (Michael Jai White, de Spawn, o Soldado do Inferno) para sobreviver aos ataques de Brick (Vinnie Jones, de X-Men: O Confronto Final) e da vingativa Talia al Ghul (Lexa Doig, de Andromeda) – herdeira da Liga dos Assassinos.

À medida que se livra do antigo inimigo, o time se depara com o que se torna a principal trama da temporada: a aparição da organização terrorista “Nono Círculo”, criada no século XIV. Liderado por Emiko Adachi (Sea Shimooka, de Bull) – irmã perdida de Oliver e Thea, por parte de pai –, o Nono Círculo procura colocar as mãos no programa Archer (criado por Felicity, para localizar pessoas a partir do DNA) e uma arma biológica, no intuito neutralizar os defensores urbanos e punir os habitantes da terra natal de seu pai, Robert Queen.

Abandonada pelos Queen, Emiko tenta desvendar o assassinato de sua mãe. (Foto: The CW)

Discutindo legado nos dias atuais, Arrow salta para o futuro, período no qual William Clayton (Ben Lewis, de Lutando Pela Vida) – filho de Oliver – se junta a Roy Harper (Colton Haynes, de Teen Wolf) seguindo pistas até Star City em 2049. Com a queda dos heróis, a metrópole é oprimida pela tecnologia militar da empresa Galaxy One, tendo como suas últimas esperanças nos novatos Mia Smoak (Katherine McNamara, de Caçadores de Sombras) – filha de Oliver e Felicity – e Connor Hawke (Joseph David-Jones, de Detroit em Rebelião) – adotado por Diggle.

Além da interessante proposta de mostrar como tudo termina, a sétima temporada do programa reconvoca as vilãs China White (Kelly Hu, de X-Men 2) e Cupido (Amy Gumenick, de Bird Box), introduz os letais Caçadores de Arco Longo e presta homenagem para Tommy Merlyn (Colin Donnell, de Chicago Med: Atendimento de Emergência), assim como se despede de Curtis Holt (Echo Kellum, de Dia da Namorada) e, sim, de Felicity Smoak.

Mia (Blackstar) e Connor são a nova geração de heróis de Star City. (Foto: The CW)

Com uma viagem completa pelo universo de Arrow, a série se aproxima do final com o sentimento de dever cumprido.

Comentários
Henrique Almeida

Henrique Almeida

Jornalista formado pela FIAM e fundador do Boletim Nerd. Foi colaborador da Coluna Mundo Geek, da GloboNews, e foi palestrante na Campus Party Brasil. Realizou a cobertura da Comic Con Experience, Brasil Game Show e Bienal Internacional do Livro de São Paulo.

Comentários estão fechados.