Streets of Rage 4 distribui nostalgia e pancadaria na medida certa

Havia um tempo mais simples nos videogames, onde tudo que fazíamos era andar em frente, socar punks pixelados e comer frangos para recuperar nossa vida. Os Beat ‘em Ups viveram um grande período de glória nos anos 90, mas, como tudo nessa vida, deixaram de ser a menina dos olhos do público. Hoje, quase 30 anos de sua estreia nos games, Streets of Rage 4 traz de volta toda a nostalgia de seus antecessores e atualiza sua mecânica e cenários para 2020, acertando em cheio para um jogo que vai consumir muitas horas do seu dia.

O primeiro da lista de acertos do jogo começa pela apresentação e história. Ao abraçar que é o produto de uma época que não existe mais, SOR 4 não se leva à sério e isso de forma que se transforma em uma grande paródia e homenagem aos tempos de 16 bits.

Tela de Streets of Rage 4

Como nos clássicos de Beat ‘em Up, a pancadaria rola solta no modo multiplayer. (Foto: Dotemu)

O antigo vilão, Mr. X, não existe mais, mas agora são os seus filhos, os gêmeos Y, que tentam dominar a cidade. Cabe aos heróis já conhecidos da franquia parar a dupla do mal. Como? Descendo o sarrafo em quem aparecer pela frente. A seleção de personagens também é um dos pontos positivos de Streets of Rage 4. Com a velha dinâmica de lutadores rápidos causando menos dano e lutadores lentos com mais dano, as opções iniciais para o jogador permitem que ele descubra a melhor maneira de jogar.

A trilha também se aproveita do momento, ao atualizar as músicas antigas para um estilo mais “retrowave”, pegando carona nas últimas modas da internet. A estética musical ajuda nos cenários, que mantêm a visão de uma metrópole decadente no começo da década de 1990, o que inclui muito neon, telefones públicos e latas de lixo.

Arte de Streets of Rage 4

Para PS4, Xbox One, Nintendo Switch e PC, o game tem visual caprichado. (Foto: Dotemu)

O jogo ainda usa algo que vem morrendo nos títulos atuais que é o desbloqueio de novos personagens baseado apenas no seu esforço dentro do game. Quanto mais combos e pontos, mais rapidamente você consegue todos os personagens dos Streets of Rage 1, 2 e 3.

O único ponto negativo talvez fique por conta da duração do jogo, que tem só 12 fases. É possível zerar rapidinho, o que pode ser frustrante, ainda mais pelo preço de jogos no Brasil atual. Mas, a dinâmica que o jogo possui faz com que o jogador repita a jogatina cada vez mais. No caso do nosso review, foram 4 finalizadas de jogo em uma semana, cada uma com um personagem distinto. Alguns vão chamar de tempo livre, eu chamo de comprometimento com a resenha.

Mas é inegável que SOR 4 deve ser apreciado em sua totalidade com a jogatina em dupla. Todas as fases ganham o dobro de inimigos e os recursos permanecem os mesmos, deixando o jogo mais difícil e desafiador. Além disso, quem nunca bateu no coleguinha sem querer durante um jogo de Beat ‘em Up?

Se quiser uma diversão despretensiosa e aquele jogo que vez ou outra você vai ligar pra ocupar algumas horinhas do seu dia, Streets of Rage 4 é a pedida certa.

O título está disponível para PlayStation 4, Xbox One, Nintendo Switch e PC.

Comentários

Comentários estão fechados.