Remake de Ben-Hur aposta em cenas de ação e numa nova mensagem

Apresentando um clássico absoluto da literatura e do cinema para o público contemporâneo, Ben-Hur (Ben-Hur, EUA, 2016) estreia hoje (18/08) nos cinemas brasileiros, trazendo Jack Huston (Orgulho e Preconceito e Zumbis) no papel principal e Rodrigo Santoro (300) como Jesus. Dirigido por Timur Bekmambetov (O Procurado), o filme aposta em cenas de ação realistas e na aproximação da figura de Jesus, diferindo-se assim da consagrada obra por William Wyler e estrelada por Charlton Heston.

Com liberdade para fazer adaptações no roteiro, a produção traz versões jovens do nobre judeu Judah Ben-Hur (Huston) e de seu irmão adotivo, o romano Messala (Toby Kebbell, de Quarteto Fantástico), e coloca-os em situações não vistas no longa lançado no ano de 1959. Deste modo, Ben-Hur procura narrar de maneira mais explicativa elementos que a premiada versão de Wyller deixou subentendido, especialmente nas sequências de sua introdução, que direcionam a trama para uma jornada épica.

Ben-Hur 2016

Depois de ver sua família ser incriminada e separada, Ben-Hur decide vingar-se de Messala em uma corrida de bigas. (Foto: Paramount)

Evitando momentos mornos, a dinâmica direção de Bekmambetov faz Ben-Hur alternar entre a adrenalina das cenas das corridas de bigas e passagens sensíveis, com a presença de Jesus – figura ilustre que aparece (com rosto revelado) com mais frequência do que no clássico. Balanceando as emoções ao longo de 1h59min, a superprodução investe em tomadas em primeira pessoa e closes para ajudar na imersão dos espectadores, porém, com isso, o acerto é tamanho que o recurso 3D não se demonstra necessário para o filme.

Situado em Jerusalém dos tempos de Cristo, o longa acompanha Ben-Hur e Jesus percorrendo caminhos opostos (tendo um movido pelo ressentimento e vingança e o outro pregando o amor e o perdão), mas que se cruzam e tem a mensagem do salvador bíblico prevalecendo. Trazendo uma aventura com mais de 100 anos*para o cinema de hoje, Ben-Hur se faz atual e comovente principalmente na atuação de Santoro; contudo, não deve ser comparado à obra icônica vencedora de 11 Oscars.

Ben-Hur-2016-Jesus-Rodrigo-Santoro

Com um ato simples, Jesus ensina a Ben-Hur que há outro caminho além da vingança. (Foto: Paramount)

Ben-Hur estreia nesta quinta-feira (18/08) nos cinemas brasileiros.

 * O livro Ben-Hur: Uma História dos Tempos de Cristo foi publicado em 1880 pelo escritor Lew Wallace.

Comentários
Henrique Almeida

Henrique Almeida

Jornalista formado pela FIAM e fundador do Boletim Nerd. Foi colaborador da Coluna Mundo Geek, da GloboNews, e foi palestrante na Campus Party Brasil. Realizou a cobertura da Comic Con Experience, Brasil Game Show e Bienal Internacional do Livro de São Paulo.

Comentários estão fechados.