Para Todos Os Garotos Que Já Amei: A importância de dizer o que sentimos

Por quantas pessoas você já se apaixonou? Para quais delas você conseguiu declarar seu amor? E para quem não o fez? Durante a maioria das vezes, pode ser difícil expor os nossos sentimentos, porém, pare e pense em quanta coisa não perdemos pelo medo de revelar nossas emoções. Adaptação do livro homônimo de Jenny Han, a produção Para Todos Os Garotos Que Já Amei estreia na Netflix apresentando o melhor que uma comédia romântica pode oferecer, ou seja, uma história apaixonante, situações divertidas e aquela sensação de “poderia ser comigo”.

Disponível no serviço de streaming a partir do dia 17 de agosto, o filme segue o dia a dia de Lara Jean (Lana Condor, de X-Men: Apocalipse), uma jovem que entra para ensino médio sem nunca ter vivido uma paixão, mas, ao contrário, costumava escrever e guardar uma carta para cada garoto por quem nutria sentimentos mais intensos. Entretanto, a vidinha pacata e reprimida da protagonista é virada de ponta-cabeça quando ela descobre que as correspondências foram entregues aos seus destinatários. A partir daí, cinco rapazes descobrem sobre Lara Jean.

To All the Boys I’ve Loved Before (título original) é publicado no Brasil pela Intrínseca. (Foto: Netflix)

Um dos envolvidos é Peter Kavinsky (Noah Centineo, de Os Fosters: Família Adotiva), que vem de um recente término de relacionamento com Genevieve (Emilija Baranac, de Riverdale) – antiga melhor amiga e atual desafeto de Lara Jean – e decide entrar na brincadeira, propondo que ele e a personagem principal simulem um namoro para a escola inteira. Afinal, deste modo, o garanhão do lacrosse pode mostrar que superou a ex-namorada, enquanto a menina tímida consegue evitar os caras que começaram a procurá-la pelas mensagens escritas há tempos.

Com 1 hora e 39 minutos de duração, o longa tem direção de Susan Johnson (Carrie Pilby) e evoca boas características do cinema dos anos 1980, ao introduzir figuras carismáticas, diálogos inteligentes e uma abordagem bastante sensível, que nos faz torcer por um final feliz (e acreditar nisso). Além de todo romance, a obra mostra o outro lado da moeda, representado por Josh (Israel Broussard, de A Morte Te Dá Parabéns), que precisa lidar com a frustração de não ter sabido dos sentimentos de Lara Jean antes de namorar Margot, sua irmã mais velha.

À esquerda, a caçula Kitty é a voz da razão e autora das melhores piadas. (Foto: Netflix)

Imperdível no catálogo da Netflix, Para Todos Os Garotos Que Já Amei fala sobre como todos podemos viver experiências incríveis quando deixamos transparecer sentimentos, embora mantê-los invisíveis pareça o mais seguro. Escondendo 1 cenas pós-créditos, Para Todos Os Garotos Que Já Amei distribui uma série de referências a John Hughes (conhecido por Curtindo a Vida Adoidado e Gatinhas e Gatões) e encanta com sua trilha sonora – ouça no Spotify.

 

Comentários
Henrique Almeida

Henrique Almeida

Jornalista formado pela FIAM e fundador do Boletim Nerd. Foi colaborador da Coluna Mundo Geek, da GloboNews, e foi palestrante na Campus Party Brasil. Realizou a cobertura da Comic Con Experience, Brasil Game Show e Bienal Internacional do Livro de São Paulo.

Comentários estão fechados.