“Mudamos para dar uma nova experiência aos fãs”, diz produtor de Bumblebee

A convite da Paramount Pictures, a reportagem do Boletim Nerd o painel de Bumblebee (leia a crítica) na CCXP 2018. Em um bate-papo com o produtor do filme, Lorenzo di Bonaventura, e os dubladores Guilherme Briggs (Optimus Prime) e Paolla Oliveira (Shatter, a vilã) – que atuam na versão brasileira –, pudemos entender o que motivou Transformers a seguir um caminho diferente. “Mudamos porque queríamos oferecer uma nova experiência ao público, pois vínhamos fazendo o mesmo há algumtempo”, disse Bonaventura.

Depois de emprestar sua voz para o líder dos Autobots na quintologia de Transformers, Briggs garante ter sentido uma necessidade de mudança na saga. “Entendo o estilo do diretor Michael Bay, mas Transformers precisava de algo mais nostálgico, mais humano”, declarou o dublador. “Sempre quis que Transformers fosse colocado nos anos 1980, com a roupagem clássica do desenho animado”, prosseguiu ele, referindo-se a Transformers: Generation 1. Aparentemente, Travis Knight, cineasta responsável por Bumblebee compartilha tal opinião.

Charlie ajuda Bumblebee a se proteger dos perigos da Terra. (Foto: Paramount)

“O diretor [Travis Knight] teve muito contato com Transformers quando criança e queria trazer essa inocência para Bumblebee”, comentou Lorenzo di Bonaventura, que também o spin-off da franquia realmente buscou o design original da série animada. Para o produtor, o filme, que estreia em 25 de dezembro nos cinemas do Brasil, realmente consegue atingir o tom desejado. “Há essa grande busca por identidade. Enquanto Bumblebee é um alienígena perdido na Terra, a protagonista, Charlie, é uma adolescente deslocada que também tenta descobrir seu lugar”, explicou.

Por ter sua história situada em 1987, Bumblebee não só traz referência a produções que fizeram sucesso na época – como a obra de Steven Spielberg e o terror de Stephen King –, como também revência os hits da época. “Foi divertido fazer a trilha sonora de Bumblebee porque todo mundo tem opiniões diferentes sobre as melhores músicas da década de 80, e a gente sempre se perguntava qual seria a próxima a tocar”, contou Lorenzo.

Um novo começo para Transformers, Bumblebee foi recebido com carinho pelo público da CCXP 2018.

Next Post

No Catarse, livro sobre quadrinhos da editora Abril busca apoiadores

Os jornalistas e editores Manoel de Souza e Maurício Muniz, lançaram uma campanha no Catarse, plataforma de financiamento coletivo, nesta quarta-feira (19/12), objetivando a publicação do livro Os Quadrinhos da Editora Abril: A Saga do Império dos Gibis, que irá explorar a trajetória da editora que mudou a cara do mercado editorial […]