Do diretor de O Chamado, A Cura faz tudo para te assustar

Uma doença misteriosa. Uma garota perturbada. Médicos e dentistas. E um castelo na colina. Reunindo diversos elementos que por tradição tem assustado muita gente ao longo dos anos, o thriller A Cura (A Cure for Wellness, EUA, 2016) é a nova aposta do cineasta Gore Verbinski (O Chamado). Em cartaz nos cinemas desde 16 de fevereiro, o longa é estrelado por Dane DeHaan (O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro) e faz tudo para intimidar o público, mas não recorre a sustos baratos para criar uma experiência de medo e tensão.

Na trama, Lockhart (DeHaan) é um jovem e ambicioso executivo, que, para se livrar de uma grave acusação, vai a um centro de bem-estar buscar o CEO de sua empresa, o Sr. Pembroke (Harry Groener, de Estrada para a Perdição). Contudo, ao chegar lá, Lockhart suspeita de que os tratamentos milagrosos prometidos pelo spa do sinistro Volmer (Jason Isaacs, de The OA) não são o que parecem e descobre que escapar não será fácil, pois ele também é diagnosticado com a mesma doença que mantém todos os pacientes à espera da cura…

Nem tudo é o que parece em A Cura... (Foto: 20th Century Fox)

Nem tudo é o que parece em A Cura… (Foto: 20th Century Fox)

Um teste para a sanidade, A Cura envolve com seu belo texto e fotografia exemplar, porém, o filme se atrapalha ao transmutar de uma história de suspense para uma mescla de fantasia e terror.

Comentários
Henrique Almeida

Henrique Almeida

Jornalista formado pela FIAM e fundador do Boletim Nerd. Foi colaborador da Coluna Mundo Geek, da GloboNews, e foi palestrante na Campus Party Brasil. Realizou a cobertura da Comic Con Experience, Brasil Game Show e Bienal Internacional do Livro de São Paulo.

Comentários estão fechados.