A Possessão de Mary: terror com Gary Oldman fracassa

Quando o assunto são filmes de terror, sempre fui a mais medrosa – a pessoa que sempre leva sustos horrorosos, de pular e gritar nos “jump scares”. Então, quando soube de A Possessão de Mary (Mary, EUA, 2019), já imaginava que esse seria justamente o tipo que investe nas mais populares técnicas de assustar – ainda mais porque o sobrenatural me deixa amedronta. Porém, todo o medo e expectativa viraram decepção quando assisti ao novo longa da Paris Filmes. O sentimento é de quem se deparou com um filme fraco num estilo que lembra produções alugadas nos anos 2000.

A obra apresenta David (Gary Oldman, de Batman: O Cavaleiro das Trevas), que vive de suas atividades marítimas, com  sua esposa, Sarah (Emily Mortimer, de O Retorno de Mary Poppins), que em certo momento cometeu adultério. O filme traz o casal restabelecido, com a mulher estressada pelos problemas financeiros e o marido em busca de novo rumo, que envolve a compra da embarcação chamada de Mary. Há rumores sobre o barco, supostamente encontrado à deriva sem nenhum tripulante.  Filhas do casal, Lindsey (Stefanie Scott, de Sobrenatural: A Última Chave) e Mary (Chloe Perrin, de Single Parents) alimentam as histórias, mas ninguém leva nada à sério, até que acontecimentos incomuns começam a perturbar a viagem para às Bahamas.

Filme com Gary Oldman prometia terror em meio ao mar. (Foto: Paris Filmes)

Em cerca de 1h24 de duração, o longa-metragem com roteiro de Anthony Jaswinski (Águas Rasas) enfrenta dificuldades para oferecer uma narrativa coerente, tendo diálogos rasos e edição preguiçosa, que em nada se beneficiam dos atores Oldman e Mortimer. Aliás, a atuação da dupla se mostra superficial e pouco convincente.

Produzido em 2019 e lançado no Brasil apenas agora, o filme dirigido por Michael Goi (The Rookie) não surpreenderia se aparecesse como opção de home video pouquíssimos dias depois estrear nas telonas. Resultado de um amontoado de de clichês, A Possessão de Mary não consegue oferecer nem mesmo entretenimento ligeiro.

Comentários

Comentários estão fechados.