Avassalador, Vingadores: Guerra Infinita põe abaixo Universo Marvel

Sente-se. Respire fundo. Pois, tudo o que você sabe sobre o Universo Cinematográfico Marvel nos últimos 10 anos está prestes a ruir bem diante dos seus olhos. Em tom apocalíptico, Vingadores: Guerra Infinita (Avengers: Infinity War, EUA, 2018) estreia nesta quinta-feira (26/04) nos cinemas, trazendo o desafio supremo aos maiores super-heróis da Terra. Com direção de Anthony e Joe Russo (Capitão América 2: Soldado Invernal), o filme chega com recorde de personagens, uma fina camada de humor e a certeza de que nada será como antes.

Embora sua tecnologia tenha evoluído, o desafio de Stark é emocional. (Foto: Marvel)

O novo título da Marvel Studios reúne pela primeira vez os Vingadores e Guardiões da Galáxia sob a ameaça de Thanos (Josh Brolin, de Onde os Fracos Não Tem Vez), vilão onipotente e onipresente que pretende destruir metade do universo com as chamadas Joias do Infinito – que são: Joia do Espaço, Joia da Poder, Joia da Realidade, Joia da Mente, Joia do Tempo e Joia da Alma. Em suas 2h29 de duração, o longa-metragem, com roteiro de Christopher Markus e Stephen McFeely, faz uma adaptação compilada das sagas cósmicas do quadrinista Jim Starlin.

Match! Thor e Rock formam a dupla dos sonhos em uma missão especial. (Foto: Marvel)

Estabelecida logo após os eventos de Thor: Ragnarok, a superprodução tem seus protagonistas ainda lidando com os desdobramentos de Capitão América: Guerra Civil – isto é, afastados, seguindo em frente, pagando por suas ações, seguindo em frente com suas vidas ou procurando novos propósitos. Porém, tudo muda e o caos predomina quando o Titã Louco e sua Ordem Negra – composta por Corvus Glaive, Estrela Negra, Fauce de Ébano e Próxima Meia-Noite – definem a Terra como a próxima parada de sua jornada de destruição.

Como Nômade, Steve Rogers retorna à liderança dos Vingadores. (Foto: Chuck Zlotnick)

Numa escala épica, a história se passa entre os núcleos terrestre e espacial com Vingadores e Guardiões da Galáxia em uma frente unificada, agindo desesperadamente para salvar aquilo que juraram proteger, algo provoca interações inusitadas – como as aventuras de Thor (Chris Hemsworth, de 12 Heróis) e Rocket Raccoon (voz de Bradley Cooper, de Trapaça) – e embates curiosos – o duelo de egos de Tony Stark (Robert Downey Jr., de Beijos e Tiros) e Doutor Estranho (Benedict Cumberbatch, de Sherlock) é um dos exemplos mais marcantes.

Doutor Estranho e Homem de Ferro precisam superar suas diferenças para encarar Thanos. (Foto: Chuck Zlotnick)

Diferente dos 18 outros filmes do catálogo da Marvel, Vingadores: Guerra Infinita utiliza toda a mitologia construída até aqui; contudo, a obra não registra qualquer apego ao se desfazer (de forma até traumática) de muitos personagens e cenários queridos pelo público. Mais pesado, sério e denso, o terceiro longa da franquia envolve o público num clima mórbido em que a sensação de perigo é real. Destaque absoluto, Thanos estreia com história consistente, modificações acertadas e um poderio ofensivo assombroso, despertando pavor em quem está dentro e fora das telonas.

Thanos bate forte em tudo o que aprendemos a amar no Universo Marvel. (Foto: Marvel)

Sinalizando mudanças para os próximos filmes e fases da Marvel, o blockbuster do ano está repleto de surpresas, costumeira aparição de Stan Lee e uma 1 pós-créditos, além de referências aos quadrinhos Thanos em Busca de Poder, Trilogia do Infinito (Desafio Infinito, Guerra Infinita e Cruzada Infinita) e sobre a recente Infinito.

Vingadores: Guerra Infinita estreia em 26 de abril nos cinemas.

Comentários
Henrique Almeida

Henrique Almeida

Jornalista formado pela FIAM e fundador do Boletim Nerd. Foi colaborador da Coluna Mundo Geek, da GloboNews, e foi palestrante na Campus Party Brasil. Realizou a cobertura da Comic Con Experience, Brasil Game Show e Bienal Internacional do Livro de São Paulo.

Comentários estão fechados.