Supergirl: Heroína encara lado escuro da mente na 3ª temporada

Na maioria das vezes, é fácil enxergar o mal na figura de monstros, invasores e terroristas, embora trevas e luz façam parte de todos. Porém, o que acontece quando esse lado sombrio passa a predominar sobre pessoas próximas a nós? Com Jessica Queller (Gossip Girl) e Robert Rovner (Private Practice) como novos showrunners, a terceira temporada de Supergirl aposta numa trama pesada e complexa, que testa Kara Danvers (Melissa Benoist, de Glee) até os limites de seus superpoderes e estado emocional, sem perder a pegada ativista de sempre.

A 3ª temporada da série da DC Comics apresenta a protagonista de coração partido após perder Mon-El (Chris Wood, de The Vampire Diaries) durante os acontecimentos da season finale anterior, situação compartilhada por sua irmã adotiva, Alex (Chyler Leigh, de Grey’s Anatomy), que terminou seu relacionamento com a policial Maggie Sawyer pelo desejo de ser mãe. Enquanto isso, o Caçador de Marte J’onn J’onzz (David Harewood, de Homeland), passa a cuidar de seu pai, M’yrnn J’onzz (Carl Lumbly, de Liga da Justiça Sem Limites), que sofre um tipo de alzheimer.

Supergirl se esforça para derrotar Régia sem que isso custe a vida de Sam Arias. (Foto: The CW)

Como grande destaque, a série conta com a estreia da vilã Régia, a Destruidora de Mundos – personagem criada pelos quadrinistas Michael GreenMike Johnson e Mahmud Asrar. Interpretada por Odette Annable (Cloverfield: Monstro), a maléfica entidade de Krypton se manifesta como alter ego de Samantha Arias, melhor amiga (e também funcionária) de Lena Luthor (Katie McGrath, de As Aventuras de Merlin). Aos poucos, as ações da antagonista não só assombram os habitantes de National City, como assustam Ruby (Emma Tremblay, de Elysium), filha de Samantha.

Diferente de anos anteriores, o programa investe em um drama psicológico, no qual uma mãe se vê perdendo sua identidade para um monstro capaz de provocar o apocalipse, num tom que se torna ainda mais pessimista quando percebemos que nem mesmo a Garota de Aço poderá conter tal ameaça sozinha. Reforçando a equipe do DOE (Departamento de Operações Extranormais), entra em cena a Legião dos Super-heróis, com os viajantes do tempo Brainiac-5 (Jesse Rath, de Defiance) e o casal Satúrnia (Amy Jackson, de The Villain) e Mon-El – sim, você leu certo!

Em uma versão mais heroica, Mon-El retorna do futuro para ajudar Supergirl. (Foto: Katie Yu/The CW)

Formada por 23 episódios, a terceira temporada de Supergirl explora o lado humano de Kara, mostrando-a em suas desilusões, cotidiano como repórter da CatCo Worldwide Media até seu amadurecimento como protetora da Terra. Entre seus momentos mais marcantes, o seriado realiza a despedida de Winn (Jeremy Jordan, de Os Últimos 5 Anos) e a presença de Alura Zor-El (Erica Durance, de Smallville: As Aventuras do Superboy) – a mãe de Kara, que reside na cidade perdida de Argo.

Comentários
Henrique Almeida

Henrique Almeida

Jornalista formado pela FIAM e fundador do Boletim Nerd. Foi colaborador da Coluna Mundo Geek, da GloboNews, e foi palestrante na Campus Party Brasil. Realizou a cobertura da Comic Con Experience, Brasil Game Show e Bienal Internacional do Livro de São Paulo.

Comentários estão fechados.