Os Defensores: 1ª temporada é o ápice dos super-heróis urbanos da Marvel?

“O corre-corre da cidade grande. Tanta gente passa, estou só”. Esta é a letra do tema de abertura de Yu Yu Hakusho, mas também poderia representar Demolidor, Jessica Jones, Luke Cage e Punho de Ferro em suas respectivas sagas para combater o mal em Nova York. Isso até os quatro superpoderosos se encontrarem em Os Defensores, a nova série da Marvel, que reúne um time inédito de heróis na Netflix. Criada por Marco Ramirez (Sons of Anarchy) e Douglas Petrie (Buffy: A Caça-Vampiros), a atração põe o grupo de paladinos contra uma mesma ameaça: O Tentáculo (The Hand).

“Os Vingadores do subúrbio”? Em Os Defensores, um time de heróis disfuncional precisa salvar NY da devastação. (Foto: Sarah Shatz/Netflix)

Enquanto Matt Murdock (Charlie Cox, de A Teoria de Tudo) questiona suas ações como o Demônio de Hell’s Kitchen e dedica-se à defensoria pública, Jessica Jones (Krysten Ritter, de Breaking Bad) volta a atuar na Codinome Investigações, Luke Cage (Mike Colter, de The Good Wife) retorna ao Harlem para descobrir quem está recrutando jovens para o crime e Danny Rand (Finn Jones, de Games of Thrones) segue caça o Tentáculo pelo mundo, todos se cruzam em Nova York. Assim, a temporada 1 de Marvel’s Defenders aposta numa saga que mescla misticismo, conspiração e crime organizado.

Em evolução, o Punho de Ferro de Danny Rand é um elemento-chave na trama. (Foto: Netflix)

Composta por apenas 8 episódios, a 1ª temporada de Os Defensores tem como catalisador a chegada da vilã Alexandra (Sigourney Weaver, de Alien: O Oitavo Passageiro), a chefe da organização criminosa chamada O Tentáculo – vista em Demolidor e Punho de Ferro. Dissidente de K’un-Lun desde o início dos tempos, a antagonista reúne os líderes grupo – que são Madame Gao (Wai Ching Ho, de O Aprendiz de Feiticeiro), Sowande (Babs Olusanmokun, de Raízes), Murakami (Yutaka Takeuchi, de True Blood) e Bakuto (Ramon Rodriguez, de Punho de Ferro) – em um ataque final contra NY.

As lideranças do Tentáculo buscam alcançar os ossos do dragão Shou-Lau, cuja substância prolonga as suas vidas. (Foto: Jessica Miglio/Netflix)

No entanto, se o ponto de partida parece bastante promissor, o seriado peca ao demonstrar os mesmos problemas apresentados pelo Universo Cinematográfico Marvel, fazendo de Alexandra uma personagem descartável, cuja única função é botar a ninja assassina Elektra Natchios (Elodie Yung, de Deuses do Egito) – ressuscitada como Céu Negro – contra os defensores de Nova York. Deste modo, sem emplacar Alexandra nem Elektra, o programa tem como destaque a figura da Madame Gao, que, na busca pela substância que lhe torna imortal, manifesta poderes extraordinários.

Elektra vive, mas ao custo das lembranças de sua existência passada. (Foto: Sarah Shatz/Netflix)

Deixando o tom sombrio e maduro dos títulos anteriores, Os Defensores adota uma dinâmica mais descontraída, com piadas entre os quatro heróis que, mesmo desentrosados, exibem boa química, especialmente com Luke Cage e o Punho de Ferro, a dupla que, nas histórias em quadrinhos, é chamada de “Heróis de Aluguel”. Paralelamente, os dramas e conflitos do Demolidor diante de Elektra, que insistentemente ocupam grande parte da trama, novamente deixam a desejar e consomem todo o potencial do Demônio de Hell’s Kitchen, assim como ocorreu na 2ª temporada de Daredevil.

Inseparáveis nas HQs, Luke Cage e Punho de Ferro se complementam e divertem em Os Defensores. (Foto: Netflix)

Com as participações de coadjuvantes, como a enfermeira Claire Temple (Rosario Dawson, de Sin City: A Dama Fatal), o sensei Stick (Scott Glenn, de O Silêncio dos Inocentes) – único sobrevivente do exército de resistência conhecido como O Casto –, o advogado Foggy (Elden Henson, de Efeito Borboleta), a repórter do New York Bulletin Karen Page (Deborah Ann Woll, de True Blood) e a radialista Trish Walker (Rachael Taylor, de ARQ), a série aproxima núcleos aparentemente heterogêneos em interações inusitadas e interessantes. Além disso, a obra vislumbra a parceria entre a guerreira Colleen Wing (Jessica Henwick, de Game of Thrones) e a policial do Harlem Misty Knight (Simone Missick, de Wayward Pines), dupla que, nas HQs, foi batizada de “Filhas do Dragão”.

Misty Knight está prestes a embarcar no mundo dos super-heróis. (Sarah Shatz/Netflix)

Estrelando Nova York como uma espécie de personagem, Marvel – Os Defensores traz referências aos gibis Alias, de Michael Bendis e Michael Gaydos, e Demolidor: A Queda de Murdock, de Frank Miller e David Mazzucchelli, easter egg de Stan Lee e cena pós-créditos de O Justiceiro (assista ao vídeo). Porém, com sua história difícil de engrenar, a primeira temporada de Defenders não corresponde às expectativas por uma saga concentrada em ação, contentando-se em exibir cenas de luta semelhantes às de Os Vingadores.

Comentários
Henrique Almeida

Henrique Almeida

Jornalista formado pela FIAM e fundador do Boletim Nerd. Foi colaborador da Coluna Mundo Geek, da GloboNews, e foi palestrante na Campus Party Brasil. Realizou a cobertura da Comic Con Experience, Brasil Game Show e Bienal Internacional do Livro de São Paulo.

Comentários estão fechados.