Runaways: 2ª temporada trata amadurecimento e consequências

Talvez você já tenha se cansado de acompanhar as histórias de super-heróis e vilões na televisão, mas, se ainda assim, não quiser se afastar demais desse universo, uma opção é Runaways, série adolescente que explora a mitologia Marvel, sem aquele velho viés de bem contra o mal. Inspirada pelos quadrinhos de Brian K. Vaughan e Adrian Alphona, a atração exibida pelo serviço de streaming Hulu tem sua segunda temporada dedicada a contar como um grupo de jovens reage após descobrir que seus pais lideram a maléfica organização chamada PRIDE.

Composta por 13 episódios, a nova fase de Fugitivos da Marvel (título no Brasil) se concentra na segunda rodada do conflito travado por Alex Wilder (Rhenzy Feliz, de Teen Wolf), Nico Minoru (Lyrica Okano, de The Affair), Karolina Dean (Virginia Gardner, de Como Eu Morro), Gert Yorkes (Ariela Barer, de Atypical), Chase Stein (Gregg Sulkin, de Faking It) e Molly Hernandez (Allegra Acosta, de 100 Coisas para Fazer Antes do High School) contra Jonah (Julian McMahon, de Quarteto Fantástico), alienígena que causará grave terremoto se retirar sua nave do subterrâneo.

Os Fugitivos encaram uma força-tarefa em seu encalço com uma invasão alien. (Foto: Michael Desmond/Hulu)

Enquanto isso, o time dos adultos, formado por Geoffrey (Ryan Sands, de The Wire) e Catherine Wilder (Angel Parker, de American Crime Story), Tina (Brittany Ishibashi, de Supernatural) e Robert Minoru (James Yaegashi, de Demolidor), Leslie (Annie Wersching, de Timeless) e Frank Dean (Kip Pardue, de Ray Donovan), Victor (James Marsters, de Buffy: A Caça-Vampiros) e Janet Stein (Ever Carradine, de Goliath), se vê numa linha tênue entre trabalhar para o extraterrestre e colocar seus filhos em risco ou proteger sua prole e entrar na mira do malvado.

Porém, com a conclusão deste arco, o seriado se encaminha para uma abordagem mais madura, pois, os protagonistas precisam carregar o peso de suas ações e arcar com os desdobramentos de suas decisões, o que lhes faz refletir sobre os caminhos tomados pelos pais. Alex, por exemplo, se vê obrigado a negociar com gângsteres locais para conseguir sustentar seu grupo, à medida que Nico lida com os efeitos colaterais do Cajado do Absoluto e Chase e Gert descobrem que a vida a dois pode ser muito mais complicada do poderiam imaginar.

Os adolescentes precisam superar as situações mais extremas. (Foto: Greg Lewis/Hulu)

Embora não siga cada página dos gibis nesta 2ª temporada, o programa aproveita o espaço para desenvolver melhor seus personagens, como o amadurecimento de Chase e a exploração do elo mental entre Gert e o dinossauro Alfazema, assim como explica as origens dos superpoderes de Molly e Karolina. Outro ponto importante é a inclusão de Topher (Jan Luis Castellanos, de Depression and Insanity), fugitivo portador de habilidades especiais, e Livvie (Ajiona Alexus, de 13 Reasons Why), o novo interesse amoroso de Alex.

Com repertório para ir além das tramas iniciais, Marvel’s Runaways usa magia e ficção científica como plano de fundo para mostrar um bando de garotos expostos à dureza do mundo, numa jornada cheia de descobertas e escolhas difíceis.

Comentários
Henrique Almeida

Henrique Almeida

Jornalista formado pela FIAM e fundador do Boletim Nerd. Foi colaborador da Coluna Mundo Geek, da GloboNews, e foi palestrante na Campus Party Brasil. Realizou a cobertura da Comic Con Experience, Brasil Game Show e Bienal Internacional do Livro de São Paulo.

Comentários estão fechados.