Jogador Nº 1 imerge na cultura pop dos anos 1980

De Volta para o Futuro? Os Goonies? Star Trek? Dungeons and Dragons? Atari? Se tudo isso te parecer estranho, é porque você provavelmente é um noob – termo usado para denominar os novatos no mundo dos games – quando o assunto é a cultura pop dos anos 1980. No entanto, para você que deseja subir de level em relação aos clássicos do cinema, TV, games e música, eis uma nova quest: assistir a Jogador Nº 1 (Ready Player One, EUA, 2018), o novo filme de Steven Spielberg (E.T. – O Extraterrestre), que estreia nesta quinta-feira (29/03) nos cinemas.

Às vezes, é melhor fugir para os games do que encarar a realidade. (Foto: Warner)

Inspirada no livro de Ernest Cline, a história tem seu START em Ohio (EUA) em 2045, quando a humanidade, devido ao esgotamento dos recursos naturais e guerras, busca refúgio na realidade virtual OASIS, que oferece riqueza, glória e poder para quem encontrar o Easter Egg de James Halliday, mas… PAUSE. Talvez você precise de um intervalo para entender melhor. Gênio dos games, Halliday, após sua morte, deixou seu patrimônio e o controle de seu universo àquele que for capaz de zerar seu desafio, atraindo a atenção de players de todo o planeta.

Anorak é o avatar de James Halliday, que guia os jogadores ao ovo dourado. (Foto: Warner)

CONTINUE. Chamados de “gunters”, os caçadores do easter egg passaram anos procurando pelo tesouro deixado pelo CEO da Gregarious Games, mas sem sucesso até o adolescente Wade Watts (Tye Sheridan, de X-Men: Apocalipse) somar pontos no placar pela primeira vez. Órfão e morador d’As Pilhas (uma comunidade organizada em trailers), o garoto resiste à dura realidade na casa de sua tia, Alice (Susan Lynch, de Do Inferno), passando seu tempo no OASIS, como seu avatar, Parzival, e com muita cultura pop da década de 80 – a exemplo de Halliday.

Nolan Sorrento (Ben Mendelsohn, de Rogue One: Uma História Star Wars ) planeja encher os jogos de publicidade. (Foto: Warner)

Jogador por diversão, Wade vê o legado de seu ídolo em risco quando surge a organização IOI, que, ao patrocinar o time de elite “Os Seis”, pretende vencer e exercer domínio sobre o OASIS, aplicando o Pay to Win (conceito no qual os jogadores devem fazer microtransações com dinheiro real para progredir) – sim, o GAME OVER para os amantes da décima arte. Então, Parzival junta-se a Art3mis (Olivia Cooke, de Bates Motel), Aech (Lena Waithe, de Master of None), Daito e Sho para encarar uma série de provas e conquistar as chaves que levam ao prêmio.

No OASIS, você pode ser o que quiser e ter amigos com os quais nunca se encontrou pessoalmente. (Foto: Warner)

O melhor trabalho de Spielberg em anos, Jogador Nº 1 chega às telonas recriando aquele clima de “sessão da tarde”, brindando os fãs com uma aventura que mescla nostalgia e futurismo – pois, além das influências dos anos 1980, o longa da Warner Bros. Pictures transporta o telespectador a um mundo onde tudo é possível –, de enredo envolvente e visual fascinante. Com a essência do livro e muitas novidades, a produção fala sobre os comportamentos na vida online, a ganância que tem prejudicado a experiência dos gamers e os benefícios da convivência offline.

Apesar da imersão num mundo virtual, o filme prega a importância dos relacionamentos interpessoais. (Foto: Warner)

Tendo como base os principais títulos da era dourada da cultura pop, o filme traz um show de referências, com uma corrida entre DeLorean, de De Volta para o Futuro, e a moto de Kaneda, de Akira, as presenças de King Kong, das Tartarugas Ninja, Batman, Coringa, Arlequina, Jason (de Sexta-Feira 13) e Freddy Krueger, Gundam, e citações sobre Star Wars, Clark Kent, ao cineasta John Hughes. Os games são representados por Adventure e jogos de Atari, aparições de Tracer, de Overwatch, Battletoads, construtos de Minecraft e a performance de um Hadouken!

Como BÔNUS, Jogador Nº 1 oferece toda uma trilha sonora retrô, com hits de A-ha, Van Halen, Rush, Twisted Sister e muito mais.

Jogador Nº 1 estreia nos cinemas brasileiros em 29 de março.

Comentários
Henrique Almeida

Henrique Almeida

Jornalista formado pela FIAM e fundador do Boletim Nerd. Foi colaborador da Coluna Mundo Geek, da GloboNews, e foi palestrante na Campus Party Brasil. Realizou a cobertura da Comic Con Experience, Brasil Game Show e Bienal Internacional do Livro de São Paulo.

Comentários estão fechados.