It – A Coisa: Stranger Things trevoso, remake também é obra-prima do medo

Dizem que clássicos são intocáveis. Será mesmo? Remake da cultuada minissérie It: Uma Obra Prima do Medo (1990), o longa-metragem It – A Coisa (It, EUA, 2017) traz aos cinemas uma versão mais assustadora, detalhada e sombria da obra do mestre do terror Stephen King. Magistralmente dirigido pelo argentino Andy Muschietti (Mama), o filme que entra em exibição no Brasil nesta quinta-feira (07/09) entrega uma aventura revigorada e arrepiante que faz jus ao livro em que foi inspirada, sendo protagonizado por um talentoso time de jovens atores.

It – A Coisa se concentra na primeira parte da história, quando os protagonistas são crianças. (Foto: Brooke Palmer)

Na trama, a interiorana (e fictícia) cidade de Derry, no Maine (EUA), é atingida por ondas de tragédias a cada 27 anos e, ao que tudo indica, sua pacata comunidade parece fazer algum tipo de vista grossa para o mal que ali espreita. Entretanto, em 1988, quando crianças começam a desaparecer e o pequeno Georgie Denbrough (Jackson Robert Scott, de Fear the Walking Dead) entra para a lista de vítimas, um grupo de desajustados decide investigar por conta própria quem está por trás dos sumiços e assassinatos em série que vem assombrando o local.

O novo filme da Warner Bros. Pictures reverencia a obra de 1990. (Foto: Brooke Palmer)

Mais que uma história de horror, It – A Coisa fala sobre coragem e amizade e, para isso, reúne o grupo formado por Bill (Jaeden Lieberher, de Um Santo Vizinho), que tenta descobrir o que realmente houve com seu irmão, o gordinho e novato na escola Ben Hanscom (Jeremy Ray Taylor, de Alvin e os Esquilos: Na Estrada), Beverly Marsh (Sophia Lillis, de 37), que tem um pai abusivo, o órfão e negro Mike Hanlon (Chosen Jacobs, de Hawaii Five-0), o perdedor falastrão Richie Tozier (Finn Wolfhard, de Stranger Things), o superprotegido pela mãe Eddie Kaspbrak (Jack Dylan Grazer, de Me, Myself and I) e o judeu Stanley Uris (Wyatt Oleff, de Guardiões da Galáxia).

Protagonista de Stranger Things, Finn Wolfhard quebra a tensão com piadas, imitações e tagarelice. (Foto: Warner)

Como principal antagonista, surge Pennywise, o Palhaço Dançarino (Bill Skarsgård, de Hemlock Grove), que aparece para cada um provocando seus maiores pesadelos e pavores mais íntimos – sim, o monstro habitante dos esgotos na área d’O Barrens é capaz de assumir a forma daquilo que mais se teme. Mais do que na icônica versão de Tim Curry (Caçada ao Outubro Vermelho), Bill Skarsgård personifica a soma todos os medos em sua performance horripilante como Pennywise – uma criatura maligna que se alimenta do pânico de uma cidade que sucumbiu às suas vontades –, o que certamente fará o público evitar lugares escuros por um bom tempo.

Prepare-se para enfrentar seus piores medos em It – A Coisa. (Foto: Brooke Palmer)

Numa jornada de dramas pessoais pesados que não só inspira medo, como também bravura, It – A Coisa já pode ser considerado um clássico moderno, coroado pelas atuações inspiradíssimas do trio Finn Wolfhard, Jaeden Lieberher e Sophia Lillis, cujo terror remete ao recente sucesso Stranger Things – que, num movimento cíclico, também se baseia no suspense e modo como Stephen King trata as crianças em suas obras.

Fica a expectativa para que o Capítulo 2 não venha daqui a 27 anos…

It – A Coisa estreia nos cinemas em 7 de setembro.

Comentários
Henrique Almeida

Henrique Almeida

Jornalista formado pela FIAM e fundador do Boletim Nerd. Foi colaborador da Coluna Mundo Geek, da GloboNews, e foi palestrante na Campus Party Brasil. Realizou a cobertura da Comic Con Experience, Brasil Game Show e Bienal Internacional do Livro de São Paulo.

Comentários estão fechados.