Homo Tempus: autor brasileiro se aventura em futuro distópico

Para você quem conhece autores clássicos, como Philip K. Dick, que criou um futuro com replicantes e megalópolis decadentes, ou George Orwell, que descreveu um mundo onde todos eram espionados através de telas (ficção que de certa forma tornou-se realidade), essa certamente é uma dica de livro que deve agradar, explorando em realidades alternativas e os diferentes caminhos que a humanidade poderá seguir.

Homo Tempus: O que sobrou do Futuro acompanha a vida de um bibliotecário chamado Wallace Vidal. O protagonista faz viagem acidental para o futuro, percebendo o retrocesso da humanidade ao longo dos anos. “O personagem é um jovem comum para nossos dias, porque é incapaz de perceber a própria inadequação entre ele e o mundo a sua volta”, comenta o autor F. E. Jacob.

Homo Tempus: O que sobrou do Futuro está à venda por R$ 39,99. (Foto: Divulgação)

“A premissa de Homo Tempus é algo que as gerações antigas viam com naturalidade, mas me parece esquecido nos dias de hoje: todos nós fazemos parte de um grande fluxo da humanidade. Foram as ações de todos os nossos ancestrais que nos permitiram estar aqui e, da mesma forma, as nossas decisões vão influenciar a vida de quem ainda não nasceu”, completa Jacob.

Escritor de Homo Tempus: O que sobrou do Futuro, Fabrício Jacob é engenheiro de produção por formação e leitor assíduo desde muito jovem. “Sou viciado em informação! Leio sobre qualquer assunto, sociedades antigas, psicologia, economia, física, ciência política, biologia, revista em quadrinhos, tudo me interessa”.

Para adquirir o livro, acesse: sromeropublisher.com/produto/homo-tempus/

Ficha técnica

Editora: SRomero Publisher
Número de Páginas: 277
Lançamento: Dezembro/2018
Comentários

Comentários estão fechados.