happn: O app que ajuda a encontrar pessoas que passaram por você

O Dia dos Solteiros é celebrado em 15 de agosto, ou seja, nesta quarta-feira. Mas, para quem pretende curtir a data numa companhia especial ou não quer comemorá-la por muito tempo, o aplicativo happn surge para aumentar as chances de atualizar o seu status de relacionamento. Para “fazer acontecer” na vida amorosa, o app, que possui cerca de 50 milhões de usuários no mundo inteiro, auxilia na descoberta de pessoas com quem você cruzou últimos 7 dias, graças ao recurso de geolocalização.

Lançado na França em 2014 e disponível no Brasil desde 2016, o aplicativo de relacionamento foi criado com o objetivo de promover Crushes entre quem passou pelos mesmos lugares, como ruas, bares, faculdades, eventos esportivos etc.. Além disso, o Happn conta com o “mapa interativo”, que permite que os usuários busquem quais pessoas passaram por determinados lugares ou dentro de um raio de 250 metros. “O cruzamento de caminhos entre duas pessoas sempre foi o DNA do happn”, diz o fundador Didier Rappaport.

Para saber o que os brasileiros não comprometidos querem, o app fez uma pesquisa para entender nossos comportamentos durante a paquera. Se você já baixou o app, é importante saber que 81% dos entrevistados preferem uma abordagem sincera e descontraída, tanto que alguém que faz rir que alguém que faz rir é altamente valorizado por 26% das pessoas de 18 a 34 anos total.

Para 41% das mulheres de 18 a 24 anos, estar em uma paquera é, acima de tudo, testar o poder de sedução (63%). Quanto às suas preferências, o estudo revelou que 47% delas gostam especialmente de elogios à sua personalidade e 29% prezam por atenções carinhosas.

E então, o que você está esperando para sair do time dos solteiros?

Comentários
Henrique Almeida

Henrique Almeida

Jornalista formado pela FIAM e fundador do Boletim Nerd. Foi colaborador da Coluna Mundo Geek, da GloboNews, e foi palestrante na Campus Party Brasil. Realizou a cobertura da Comic Con Experience, Brasil Game Show e Bienal Internacional do Livro de São Paulo.

Comentários estão fechados.