Forte, Planeta dos Macacos: A Guerra une jornada bíblica e vibe clássica

Depois de A Origem (2011) e O Confronto (2014), Cesar (Andy Serkis, de O Senhor dos Anéis) está de volta e lidera os símios inteligentes em Planeta dos Macacos: A Guerra (War for the Planet of the Apes, EUA/Canadá/Nova Zelândia, 2017). Como o título anterior, o filme conta com a direção de Matt Reeves (Cloverfield: Monstro), traz nomes como Woody Harrelson (True Detective) e Steve Zahn (Diário de um Banana) como principais novidades no elenco e apresenta ao público uma história de escala maior, com influência bíblica e vibe próxima dos clássicos.

Agora Cesar é um líder em tempos de guerra com o peso do mundo nas costas. (Foto: Fox)

Situado 15 anos após os eventos do longa que inicia a trilogia recente, a produção mostra o conflito entre macacos e humanos a momentos antes de sua conclusão, uma vez que a humanidade sucumbiu diante da gripe símia e os poucos sobreviventes não mantêm paz com a nova espécie predominante da Terra. A jogada final começa quando o personagem chamado Coronel (Harrelson) empreende um ataque letal contra a família de Cesar, tragédia que culmina num êxodo dos macacos e também conduz seu líder pela perigosa estrada da fúria.

Coronel tem uma visão do futuro, e a paz não faz parte dele. (Foto: Fox)

Sempre acompanhado pelo orangotango Maurice (Karin Konoval, de Ela Dança, Eu Danço 5: Tudo ou Nada) e Rocket (Terry Notary, de Kong: A Ilha da Caveira), Cesar procura vingança enquanto encaminha seu povo para um novo lar – uma terra prometida além do deserto. Um filme para o nosso tempo – conforme Andy Serkis em entrevista (saiba mais) –, a superprodução Planeta dos Macacos: A Guerra coloca seu protagonista para escolher entre o ódio e a empatia, numa decisão que determinará seu destino e o futuro da comunidade de macacos.

Planeta dos Macacos: A Guerra chega em escala épica. (Foto: Fox)

Como de costume, o nono capítulo da franquia chega às telonas carregado de metáforas sobre a condição humana e as situações sociais e políticas do mundo, refletindo sobre o que acontece quando perdemos a habilidade de nos colocar no lugar do outro. Além disso, a obra lançada pela 20th Century Fox já trabalha na continuação da saga, com a inclusão da garotinha Nova (Amiah Miller, de Quando as Luzes se Apagam) e do macaquinho bebê Cornelius (Devyn Dalton, de Legion), ambos personagens vistos nos clássicos das décadas de 1960 e 1970.

Referência? Nova deve voltar nos próximos filmes de Planeta dos Macacos. (Foto: Fox)

Um western moderno, Planeta dos Macacos: A Guerra acerta com Cesar numa “jornada de Moisés”, interpretações repletas de emoção com Andy Serkis e Woody Harrelson e ainda arranja para fazer sorrir com o Bad Ape (Zahn).

Um filme grandioso e completo.

Planeta dos Macacos: A Guerra está em cartaz desde 3 de agosto.

Comentários
Henrique Almeida

Henrique Almeida

Jornalista formado pela FIAM e fundador do Boletim Nerd. Foi colaborador da Coluna Mundo Geek, da GloboNews, e foi palestrante na Campus Party Brasil. Realizou a cobertura da Comic Con Experience, Brasil Game Show e Bienal Internacional do Livro de São Paulo.

Comentários estão fechados.