Christopher Robin: A vida acontece enquanto ignoramos até o Ursinho Pooh

Você cresce, amadurece, recebe todos os encargos da vida adulta e… quando se dá conta, percebe que deixou para trás todos os valores, a alegria e a inocência dos tempos de criança. Produção em live-action com direção de Marc Forster (Em Busca da Terra do Nunca), Christopher Robin: Um Reencontro Inesquecível (Christopher Robin, EUA, 2018) chega aos cinemas na próxima quinta-feira (16/08), com uma aventura do Ursinho Pooh e sua turma, que promete nos fazer refletir sobre o que de fato é importante em nossas vidas.

Nova adaptação dos personagens criados em 1921 pelo escritor Alan Alexander Milne, o filme da Walt Disney Studios transporta gerações de fãs de volta ao famoso Bosque dos Cem Acres, lar de Ursinho Puff, Leitão, Tigrão, Corujão, Kanga e seu filho, Guru, e do burro Ió. No enredo – contado em 1h44 –, Christopher Robin passa a infância brincando com os bichinhos de pelúcia, porém, quando chega à adolescência, o protagonista se vê obrigado a deixar seus amigos para encarar a realidade lá fora, como estudante e “homem da casa”.

Chega um momento da vida em que você precisa sentar e refletir se está vivendo como sonhou. (Foto: Disney)

Décadas depois, Christopher Robin – já interpretado por Ewan McGregor (Star Wars: Episódio I – A Ameaça Fantasma) – surge como adulto, espremido entre as responsabilidades do trabalho – tendo que dar lucro à empresa de malas que lhe contratou – e de casa – lá o esperam a esposa, Evelyn (Hayley Atwell, de Capitão América: O Primeiro Vingador), e a filha, Madeline (Bronte Carmichael, de O Destino de uma Nação). Entre sua família e o emprego, Christopher Robin precisa escolher sua prioridade e, para tomar a decisão certa, tem o retorno de velhos colegas para guiá-lo.

Num clima melancólico, o longa mostra como o peso da maturidade pode tornar os dias opacos e sem objetivo, fazendo com que até mesmo as pessoas mais idealistas, afetuosas e sonhadoras se distanciem do que realmente lhes importa. Em contraste com esse tom acinzentado, a fofura e os questionamentos inocentes de Ursinho Pooh e dos outros provocam reflexões sobre o que perdemos durante o caminho para a vida adulta, assim como análises sobre o que nos transformamos e comparações a respeito de quem queremos e deveríamos ser agora.

Com 1 cena pós-créditos, a obra tem como destaque o humor pessimista de Ió, que rende boas risadas.

Christopher Robin: Um Reencontro Inesquecível estreia em 16 de agosto nos cinemas.

Comentários
Henrique Almeida

Henrique Almeida

Jornalista formado pela FIAM e fundador do Boletim Nerd. Foi colaborador da Coluna Mundo Geek, da GloboNews, e foi palestrante na Campus Party Brasil. Realizou a cobertura da Comic Con Experience, Brasil Game Show e Bienal Internacional do Livro de São Paulo.

Comentários estão fechados.